Luiz Fernando Costa, aluno de Eng. de Computação, é arquiteto de softwares pleno na Vivo

224

Admitido no programa de estágio da companhia em março de 2022, o ex-aluno de Engenharia de Computação da Unisanta Luiz Fernando Leal Costa se viu, em apenas 5 meses, contratado como arquiteto de software júnior pela Vivo, marca do grupo Telefônica que atua no Brasil desde 1998, com uma grande variedade de produtos e serviços na área de telefonia. Formado no final de 2022, o engenheiro de computação acaba de ser promovido cerca de 8 meses após a sua contratação assumindo, desde o início de maio, o cargo de arquiteto de software pleno.

Antes de ser admitido como estagiário da área de integração para atuar na equipe de microsserviços, Luiz Fernando passou por um processo seletivo composto por diversas etapas que culminaram, em suas palavras, “com o tão sonhado sim”. “Recebi um e-mail informado que tinha sido aprovado para o programa de estágio da Vivo quando estava voltando da faculdade, por volta de 19h30”, relembra. 

“A universidade foi crucial para que eu pudesse me relacionar com diferentes pessoas e entender diferentes pontos de vista. O curso foi essencial para que eu tivesse uma excelente base de conhecimento não só para o meu trabalho, mas para a minha vida também”, destaca Luiz Fernando, que atualmente está cursando um MBA em Arquitetura de Soluções. 

Prestes a concluir o curso, Luiz sinaliza que, a despeito dos desafios enfrentados em algumas disciplinas, sua grande dificuldade foi dedicar-se 100% ao longo de toda a graduação: “A universidade foi crucial para que eu pudesse me relacionar com diferentes pessoas e entender diferentes pontos de vista. O curso foi essencial para que eu tivesse uma excelente base de conhecimento não só para o meu trabalho, mas para a minha vida também”. 

Aos estudantes em busca de oportunidades no mercado de trabalho, o aluno de Engenharia de Computação aconselha ser fundamental não se restringir apenas à faculdade. “Sim, ela é necessária e te dará uma excelente base, mas procure se aprofundar em algum assunto de interesse que aprendeu no curso, além de outros não mencionados”, recomenda Luiz. 

Além disso, o engenheiro de computação recomenda que continuem se aprimorando, observando, lendo e experimentando novas tecnologias. “Certa vez, o professor Hugo Santana me deu um conselho que sigo até hoje: se te pedem 10, entregue 15. É também importante entregar algo que tenha qualidade, que vá realmente fazer a diferença, gerando valor. Esse conselho foi o que mais me deu reconhecimento aqui dentro da empresa e fora dela também: não fazer apenas o básico. É fundamental analisar o contexto completo da tarefa e ver como você mesmo pode melhorar o que foi solicitado para entregar uma solução que vá além do mínimo”, sugere.