Ex-aluno do Colégio Santa Cecília conquista Bolsa Mérito na FGV

345

Ex-aluno do Colégio Santa Cecília, Felipe Vitor Araujo dos Santos conquistou uma Bolsa Mérito na Fundação Getúlio Vargas para o curso de graduação em Administração de Empresas com uma história de muito esforço e batalha.

O jovem que estudou no Colégio desde o 6.º ano, durante a volta às aulas depois da pandemia, começou a ter dúvidas de que carreira iria seguir, enquanto observava alguns de seus colegas já escolherem seus cursos. “Sempre fui bem disperso, ia bem nas matérias, mas não sabia em qual focar”. 

Até que teve aulas de Modelos Econômicos na disciplina de História e se identificou com sua paixão por negócios e se aprofundou na área. E, com isso, junto com a terapia e os testes vocacionais, confirmou que esse era o caminho a trilhar. 

A preparação para o processo seletivo começou por volta de janeiro deste ano. “Comecei fazendo 4 horas diárias de estudos, depois de dois meses já estava fazendo 7 horas e, próximo ao dia da prova, cheguei a fazer 9 horas, além de estudar aos finais de semana e fazer vários simulados”, revela.

Ainda falando do Santa, ele ressalta a importância do professor de História, João Oliveira, com quem sempre teve um contato importante e recebeu muito apoio, além da professora de Física, Rita Cássia, que o ajudou com técnicas de estudo, assim como o professor de Sociologia, Rafael Moreira, que escreveu uma carta de recomendação para o Insper onde também foi aprovado.

Já pensando na universidade, Felipe quer engajar alguns projetos sociais, visando dar aulas para pessoas que não tiveram acesso à educação tão boa no ensino médio, além de entrar em Ligas Universitárias de Mercado Financeiro, procurando um estágio que possa consolidar a teoria e a prática.

Ele também ressalta como sua tia, hoje sua responsável legal, foi essencial para chegar à sua conquista. ”Eu pensei muitas vezes em desistir, chegava nela e falava que não estava aguentando ou não estava entendendo, e ela falava que eu sabia que seria difícil e que eu era capaz, então, sem o apoio dela, não teria chegado aqui”, conta.

E a tia Priscila Aparecida da Conceição Costa conta que nunca teve esse propósito de ser mãe e, quando o jovem, veio até sua vida, ela entendeu que precisar ser um exemplo para ele seguir. “Nesse momento foi quando comecei a fazer minha capacitação para ajudar ele. Ele deu um pouco de trabalho, mas sempre fui o guinado sabendo que ele era capaz”.

E ela ressalta como no momento que mais precisaram, receberam acolhida e apoio de toda a equipe da diretoria, professores e funcionários do Colégio, que os ajudaram de alguma forma para chegar até essa conquista.

A diretora do Colégio Santa Cecília, Marilisa Grottone e a coordenadora Eldirlaya Silva de Matos Framiglio, do Ensino Médio, expressaram a satisfação e a emoção ao ver o trabalho, voltado não só para questão de conteúdo, como também para a formação da cidadania dos alunos no Colégio, trazer mais um fruto.

“Ele sempre foi um aluno que se esforçou muito, tendo esse contato com os professores. Se interessava muito e, entre as conversas, a gente orientava para que ele se encontrasse para o melhor caminho que ele se identificasse”, comentou a coordenadora.

Ao final, ambos agradeceram a rede de apoio que tiveram, desde colegas de serviço do consultório do Dr. Gil Frank, que esteve muito presente na jornada de Felipe, além do Dr. Antônio Darghan, sua psicóloga Andrea e os amigos Felipe, Adilson, Giovanna, Maristela, Katia, Gustavo, Leandra e Thalita, que, quando receberam a notícia, mandaram diversas mensagens de empolgação pela sua conquista.