Gabriella Maggio, ex-aluna de Odontologia, faz pós-graduação e começará a estagiar no Hospital Albert Einstein, em São Paulo

309

Com apenas 22 anos de idade, a ex-aluna do Colégio Santa Cecília e do curso de Odontologia, Gabriella Maggio Canoniga, constrói em bases sólidas uma carreira próspera no ramo. Vivendo atualmente em São Paulo, ela realiza uma pós-graduação em Odontologia Hospitalar no Hospital Israelita Albert Einstein, trabalha em uma clínica odontológica paulistana e também começará um estágio no próprio Einstein e no Hospital Vila Santa Catarina, em novembro deste ano.

Natural de Santos, Gabriella Maggio foi aluna de longa data do Grupo Santa Cecília, a começar pelo colégio: “Estudei na instituição desde 2007, posso dizer que cresci dentro da Unisanta. Meus pais sempre gostaram do ensino e, desde que eles me colocaram lá, nunca mais quiseram trocar de escola. E o mesmo foi para mim, foi ali que eu conheci meus melhores amigos e tive o melhor ensino e foi ali que eu escolhi a Odontologia”, relata.

A cirurgiã-dentista ainda revela a escolha da Unisanta para o ensino superior: “A reputação da ‘Odonto’ Unisanta é muito grande na Baixada Santista, é uma qualidade de ensino que poucas faculdades têm, lá você entra aluno e sai cirurgião-dentista, pois temos toda a infraestrutura, corpo docente e o ensino de qualidade. Esse foi o ponto chave por eu escolher a ‘Odonto’ Unisanta, além de também já estar em um ambiente familiarizado”.

Gabriella se formou em Odontologia em 2019 e se lembra dos seus tempos de faculdade com carinho. Desde a dinâmica das aulas e atividades que, segundo a dentista, davam a “oportunidade de conhecer lugares, pessoas e levar o nosso conhecimento para todos”, até o desenvolvimento de um projeto por ela concebido, o Odontologia Solidária. “Nesse projeto, nós realizávamos atendimentos voluntários em comunidades da Baixada Santista, principalmente em Cubatão, e também dentro da matéria de pacientes com necessidades especiais, pois o projeto era uma homenagem à disciplina. Realizamos apenas procedimentos preventivos, mas, se fosse necessária alguma intervenção odontológica, os pacientes eram

encaminhados para as clínicas odontológicas da Unisanta, e lá eram realizados todos os procedimentos necessários gratuitamente”, descreve a jovem santista, que se diz grata pelo apoio dos colegas de turma e da Dra. Rosângela para desenvolver essa proposta, que perdurou entre os anos de 2018 e 2019, sendo inclusive premiada na Semana Acadêmica de Odontologia da Unisanta, em 2019.

O caminho para ingressar no Hospital Israelita Albert Einstein começou para Gabriella no segundo ano da faculdade, quando, após assistir a uma palestra sobre Odontologia Hospitalar, começou a se interessar pelo campo: “Fiquei encantada e fui saber mais sobre a área”. Ela também comenta que, após uma conversa com a coordenadora do curso, houve a menção ao hospital paulistano (o centro de saúde privado mais moderno da América Latina) como uma referência na área, além de ser uma instituição com feedback positivo dos ex-alunos da Unisanta que já estudaram lá.

O desafiador processo de admissão para a pós-graduação no Einstein começou para Gabriella com a obrigação de preenchimento de um pré-requisito obrigatório: ingressar em um estágio dentro da PNE (Política Nacional de Estágios) para cumprir carga horária. Depois de completar esse passo, no final de 2019 se inscreveu para a seleção. Esse processo seletivo teve duas etapas: o questionário por escrito e a entrevista por telefone. “Eles procuram um aluno perfil Einstein […] eu fui aprovada no questionário e na entrevista”, aponta a cirurgiã-dentista.

A ex-aluna da Unisanta descreve sua admissão no Einstein como um “momento único” e revela uma gratidão aos que a ajudaram: “Eu tive muito apoio dos colegas, da Dra. Rosângela, da Dra. Marilene e Dra. Vera Lucia Oliveira, que fizeram cartas de indicação para eu poder estudar lá, além do apoio dos meus familiares que ficaram extremamente felizes e orgulhosos”.

A pós-graduação em Odontologia Hospitalar no Hospital Israelita Albert Einstein teve início, para Gabriella Maggio, em fevereiro deste ano e se encerrará em janeiro de 2021. Ela ainda anuncia que sua formatura no ano que vem não será uma despedida ao hospital da zona sul paulistana, já que iniciará em novembro de 2020 um estágio lá, e em outro centro de saúde da cidade, no Hospital Vila Santa Catarina, localizado no distrito do Jabaquara e também administrado pelo Grupo Einstein.

Sobre a área hospitalar da Odontologia, Gabriella Maggio declara: “É muito diferente trabalhar em uma clínica/consultório e em um hospital. A Odontologia é a mesma, não muda. O que muda é você trabalhar com uma equipe multiprofissional, onde temos o médico, enfermeiro, fisioterapia, psicólogo, nutricionista etc. E trabalhamos em conjunto para apenas um paciente”.

Gabriella continua: “O cirurgião-dentista, dentro do hospital, é responsável por cuidar da saúde bucal, diminuir o tempo de leito desse paciente internado e dar uma melhor qualidade de vida enquanto esse paciente estiver internado. Muitas manifestações do nosso corpo aparecem primeiramente na região bucal, então é muito importante ter um dentista, em um leito de UTI, na parte de oncologia, hematologia etc. Todos os tratamentos odontológicos são realizados no hospital, alguns à beira do leito, então nós vamos até o quarto desse paciente e realizamos o procedimento ou ele é encaminhado para o consultório odontológico que tem dentro do hospital ou pode também realizar em centro cirúrgico quando for mais invasivo”.

A cirurgiã-dentista revela que a área hospitalar exige muito do profissional: “É uma rotina que exige estar atento 1000%, temos que ter muito conhecimento embasado, pois falhas não são permitidas, uma falha pode custar a vida de um paciente”, mas também reconhece a satisfação de exercer sua vocação e a importância desses serviços: “É muito gratificante trabalhar em um hospital, com uma equipe preparada e poder trazer saúde para os pacientes. Ver que a cada dia que passa, mais médicos que não acreditavam o quanto era importante o dentista estar presente nos hospitais mudam de pensamento e aprendem as nossas técnicas, as medicações, lembrando o que é passado para o paciente, tirando dúvidas com a equipe odontológica. Sentir que o dentista é muito importante na equipe multiprofissional”.

Além de tudo isso, Gabriella Maggio também trabalha em uma clínica odontológica em São Paulo, onde, segundo ela, acabou se “encantando” pela Odontopediatria. A dentista conta que a rotina nessa clínica e no hospital despertou o seu interesse nesse campo que jamais pensou que seguiria.

Sobre o seu futuro profissional, a ex-aluna de Odontologia da Unisanta é categórica: “Pretendo depois realizar um mestrado, minha professora de bancada de dentística da graduação, Dra. Ana Maria Antunes, me falou no dia da minha apresentação do TCC que eu tinha que seguir carreira acadêmica e eu levo esse conselho dela comigo sempre e futuramente irei realizar esse mestrado”.

Quanto à sua avaliação deste ano anormal e trágico sob tantos aspectos, Gabriella expõe uma perspectiva que deixa nítida a sua mentalidade, que propicia o sucesso: “Este ano de 2020 foi um ano muito atípico, mas foi um ano de aprendizado para muitas áreas, nos reinventamos por completo, tanto pessoalmente como profissionalmente, e acredito que a vida é feita de fases e temos que saber aproveitar sempre o lado bom de todas as fases da nossa vida, sempre acreditando e confiando que vai dar tudo certo, no final”.

Por fim, Gabriella Maggio reitera a sua gratidão pela Unisanta e seu corpo docente: “Queria deixar uma mensagem de agradecimento para aos mestres e doutores de graduação da Odontologia Unisanta, todos sem exceção, pois a profissional que eu sou hoje em dia é por causa do conhecimento que eles me passaram. Eu sou extremamente grata e fico honrada por ter conhecido pessoas tão maravilhosas e que sempre estavam ali para nos ensinar”.

Gabriella continua: “Sempre aonde eu vou, eu levo a ‘Odonto’ Unisanta junto, pois eu tenho orgulho de dizer onde eu fiz a minha faculdade e tenho orgulho dos mestres que me guiaram até aqui. Tudo isso que eu conquistei, no meu primeiro ano de formada, foi graças a eles que me deram a estrutura para ser cirurgiã-dentista”, concluiu a ex-aluna da Unisanta