Aline Martins Almeida Inácio, ex-aluna de Fisioterapia, conta ao portal UOL sua experiência durante a pandemia

200

O exemplo de profissionalismo da fisioterapeuta Aline Martins Almeida Inácio, formada pela Universidade Santa Cecília, foi tema de uma matéria veiculada no canal de saúde e bem-estar VivaBem, do portal UOL.

Aline, de apenas 24 anos de idade, é natural de Praia Grande e se graduou na turma de Fisioterapia de 2019 da Unisanta. Durante sua vida acadêmica, um destaque foi a premiação de seu trabalho no XI Congresso Brasileiro de Iniciação Científica (COBRIC), no ano de sua formatura. Intitulado “Relação entre a Síndrome da Fragilidade e sintomas depressivos em idosos residentes no município de Santos”, a obra foi uma das cinco melhores da área da saúde, de acordo com a banca examinadora do evento.

Na matéria, escrita por Bruna Alves e veiculada no UOL na quarta-feira (24/03), a trajetória profissional de Aline Inácio é retratada brevemente, para então o texto abordar as experiências e sensações da ex-aluna da Unisanta durante essa crise sanitária, em virtude da Covid-19.

Aline Inácio faz parte da geração de profissionais da saúde que ingressaram no mercado de trabalho durante a pandemia da COVID-19, ou seja, em 2020. No texto do UOL, ela conta que o seu maior medo após a graduação não se concretizou: não conseguir um emprego. Felizmente, ela recebeu e aceitou duas propostas de trabalho, uma no Hospital Irmã Dulce, em Praia Grande, e outra no Hospital Casa de Saúde de Santos.

“São 12 horas de trabalho em um hospital e 24 horas no outro. Normalmente, ela trabalharia um dia e folgaria dois, mas como trabalha em dois lugares, Aline descansa apenas algumas horas entre os plantões”, assim diz um trecho do texto do UOL, que depois dessa introdução tem como foco as descrições que a ex-aluna da Unisanta dá do ambiente hospitalar durante o pico da pandemia no Brasil. Aline enriquece o tema comparando os diferentes momentos dessa crise sanitária na região e, principalmente, mostrando toda a humanidade que um profissional da saúde competente cultiva e toda a dureza em se perder pacientes, o que se tornou uma realidade diária.

Um caso vivido por Aline Inácio chamou a atenção e foi destaque na matéria: um pai de família de 34 anos de idade que, pouco antes de falecer em decorrência da COVID-19, pediu à fisioterapeuta papel e caneta para escrever uma carta para sua esposa e filhas pequenas.

A fisioterapeuta Aline Martins Almeida Inácio, cuja rotina heroica foi retratada em um texto do UOL, é mais uma ex-aluna exemplar da Universidade Santa Cecília e uma representante de uma classe profissional que merece todas as homenagens pela luta diária frente à pandemia: os profissionais da saúde.