Núcleo Universitário de Práticas Restaurativas “Professora Nilza Pirilo Teixeira” comemora 2º aniversário

156

O Núcleo Universitário de Práticas Restaurativas (Nupre) “Professora Nilza Pirilo Teixeira” (em memória) realizou, no dia 03 de outubro, um Círculo de Celebração para seu 2º Aniversário de Inauguração do Núcleo Universitário. O encontro aconteceu na Universidade Santa Cecília, com uma dinâmica de conversas entre participantes do núcleo e convidados.

O núcleo teve sua inauguração no dia 30 de setembro de 2021 com a presença da Professora Nilza Teixeira, que participou da dinâmica do círculo de celebração. O nome do núcleo foi dado em sua homenagem por ser uma referência como educadora, que dedicou a vida para uma educação humanizada e igualitária.

O objetivo do núcleo é atender à comunidade interna e externa, além de todos os cursos da Universidade Santa Cecília, trazendo práticas restaurativas, com uma metodologia que trabalha na prevenção e resolução de conflitos, por meio de processos circulares, celebração para convivência, luto e outros impasses do cotidiano.

Para a Dra. Sílvia Teixeira, reitora da Universidade Santa Cecília, comemorar o segundo aniversário do núcleo é “acender a chama da vida, da paz e do amor, compartilhando com instituições, organismos da área do judiciário, da educação e da cultura, plantando cada vez mais a conciliação, o entendimento e o desafio de conviver em harmonia. Fazemos isso dentro da universidade onde Nilza e Milton Teixeira foram desde sempre doadores, aqueles que interviram que o mundo pode ser melhor através da democratização da educação, então que este dia possa ser multiplicado por muitos anos e que a inclusão social se faça presente”.

Dra. Lúcia Teixeira, presidente da Universidade Santa Cecília, relata emoção ao participar da comemoração: “É muito emocionante porque nós vemos todos os ensinamentos que começaram com a nossa família e, desde criança, eram conclamados pela minha mãe, pelo meu pai e também pela tia Emília, que são os fundadores do Santa Cecília, para multiplicar esses conhecimentos através da educação, principalmente. E agora com um curso de pós-graduação que multiplica esses conhecimentos, unindo, afirmando e provando a importância de disseminarmos isto pelo mundo em todos os ambientes corporativos, educacionais, culturais e sociais”.

O Pró-Reitor Administrativo da Unisanta, Dr. Marcelo Teixeira, fala sobre sentimento de comemorar o segundo aniversário do núcleo que leva o nome de sua mãe, a Profª Nilza Pirilo Teixeira. “É um sentimento de que independentemente de onde ela esteja nós vamos continuar vivendo e sentindo, é um amor de mãe, um amor de uma educadora que fez tudo para sua família e para a família Cecíliana. Reunir educadores, judiciários, advogados, o ensino público, privado, municipal, estadual, pessoas em torno de ideais de vida. Tenho absoluta convicção que independente da pandemia, o nosso núcleo cumpriu tão bem no aprendizado e na experiência dada a professores, alunos estagiários e a tantos que buscam através da justiça a verdade e, acima de tudo, a paz”.

A secretária de Educação de Santos, Cristina Barletta, que estava presente no evento, relata que práticas como as do núcleo fortalecem a educação no sentido de dar equilíbrio às situações que são presentes na escola. “Conflitos nós temos, o importante é como lidamos com eles. A Justiça Restaurativa vem dar esse apoio, trazer um novo olhar, mais complacente, generoso e empático para que a gente tenha um ambiente acolhedor para os nossos alunos e para os profissionais da educação. Eu espero que tenhamos continuidade desse curso que o Santa Cecília desenvolve com excelência”, completa a profissional.

A coordenadora da pós-graduação em Justiça Restaurativa, Liliane Rezende, explica propósito do curso: “Ele visa trazer toda a filosofia, os princípios e os valores da Justiça Restaurativa que já é uma política pública dentro do nosso município e, com isso, traz a proposta da ODS 16 que fala sobre paz, justiça e instituições eficazes. Então esse é o nosso objetivo, fortalecer a proposta da cultura de paz e não violência em todas as ambiências, principalmente as escolares”.

Selma Lara, também coordenadora do curso, fala dos objetivos que pretendem alcançar na pós-graduação: “O objetivo é que a gente possa conectar o Nupre ao nosso curso de Justiça Restaurativa, construindo relações humanas. Essa conexão precisa ser alimentada a cada dia, onde a gente possa fazer processos envolvendo toda a teoria na prática, através dos círculos de resolução de conflitos, convivência, celebração e até círculos de luto. Nosso curso trabalha com muitas disciplinas considerando que o ser humano é múltiplo e precisa de muitas questões para se estruturar no processo de humanização, os conteúdos programados são muito importantes, mas se ele não tiver habilidade para lidar com isso de uma forma humana fica tudo no papel e ele não consegue exercer na pratica”.

A ex-aluna de Justiça Restaurativa e psicopedagoga especialista em ABA, Tammy Marmol, explica por que escolheu o curso: “Eu já tinha feito um curso para facilitadores em Justiça Restaurativa e percebi a importância de aprimorar esse conhecimento. O atendimento que eu fazia naquele momento era para as escolas públicas, facilitando esses diálogos e conversas, então eu percebi que nesse curso de pós-graduação em Justiça Restaurativa da Unisanta, eu teria a possibilidade de ampliar meu repertório, além de conhecer e estudar outros teóricos que agregariam para esse meu trabalho enquanto facilitadora”.

Flávia Costa, mestra em educação e especialista em Justiça Restaurativa, conta como foi participar do curso: “Foi inovador porque é um curso que traz a restauração para todas as eminências por meio de inúmeros ensinamentos que permeiam a cultura de paz e um novo de modo de fazer as relações entre as pessoas serem resolvidas por meio da conversa, do diálogo e da não violência. Então tudo isso é possível a partir dessa política pública aqui na nossa cidade de Santos e é um orgulho poder estar aqui novamente”.

As coordenadoras convidam todos os interessados a participar, em 2024, da segunda edição do curso de pós-graduação em Justiça Restaurativa, que leva o nome da professora Nilza Pirilo Teixeira.