LAFES e InovFabLab produzem equipamento de avaliação de performance para atletas e pessoas com doenças crônicas

44

Mais uma vez a Unisanta reafirma o seu diferencial como top 10 em inovação entre as universidades particulares do País e a 1ª na Baixada Santista, segundo o Ranking Universitário Folha de São Paulo – RUF. Alunos, docentes e colaboradores do Laboratório de Fisiologia do Exercício e Saúde (LAFES) e do Laboratório de Inovação da Universidade (InovFabLab) desenvolveram um equipamento de avaliação física, utilizado para a melhoria da performance de atletas e pessoas com doenças crônicas degenerativas. O projeto foi aprovado no Programa START, da Fundação Parque Tecnológico de Santos, e realizado em parceria com o Sebrae-SP e a ABStartups.

“A ideia é trazer a vivência da Educação Física e da Fisiologia do Exercício com as tecnologias e a engenharia, justamente para poder quantificar e embasar o profissional da área da Saúde em relação às aptidões físicas e suas relações com as doenças crônicas degenerativas”, explica o coordenador do LAFES, Prof. Alexandre Galvão.

De acordo com o gerente do InovFabLab, Prof. Sergio Schina, o equipamento foi confeccionado em MDF e com circuitos eletrônicos e possui trilhos móveis e sensores que enviam dados diretamente para o celular, por meio de um aplicativo com gráficos que serão analisados pelo profissional.

Entre as variáveis que estão relacionadas com aptidão física e que podem ser analisadas através do equipamento, estão: agilidade, coordenação visual, motora e auditiva, trabalhos realizados com membros superiores e inferiores, flexibilidade, forças dinâmicas e isométricas, potência, propriocepção, detecção de assimetrias, do lado direito, esquerdo, superior e inferior e das cadeiras anterior e posterior.

Segundo Galvão, “para o tratamento e reabilitação das doenças crônicas degenerativas, é necessário um bom diagnóstico para avaliar e analisar os movimentos do aparelho locomotor e tentar relacionar com deficiências adquiridas do dia a dia e patologias associadas. O nosso equipamento vai oferecer todas as análises imediatamente a avaliação”.

“O objetivo deste protótipo é avaliar as aptidões físicas e otimizar o tempo do avaliador e do avaliado, além de abranger todos os grupos, de crianças a idosos, de atletas a sedentários patológicos, pessoas com deficiência, enfim, todos poderão fazer essa avaliação”, explica Mariana Corrêa, monitora do LAFES, estudante da Educação Física e idealizadora do projeto.

O trabalho interdisciplinar contou com a participação de alunos, docentes e colaboradores dos dois laboratórios. Pelo InovFabLab, além de Schina, participaram do projeto Ricardo Steger Giangiulio e a aluna Giovana Pimenta do Nascimento Correa, de Sistemas de Informação. Eles foram responsáveis pela confecção do projeto, da parte eletrônica e da programação do aplicativo de celular. Toda a análise das aptidões físicas ficou a cargo de Mariana e Galvão.

Sobre o InovFabLab – O local faz parte do Complexo de Laboratórios da Universidade, que atende às exigências da indústria 4.0, a quarta revolução industrial que está para chegar, de um mundo conectado à inteligência artificial e a outras conquistas tecnológicas. Esse laboratório foi inspirado na tradição norte-americana, iniciada no Massachusetts Institute of Technology – MIT, os fab labs, os chamados laboratórios de inovação.

Prêmio – A Unisanta recebeu o prêmio “Boas Práticas na Gestão de Tecnologia da Informação”, da MetaRed Brasil, pelo projeto de aberturas de chamados de TI, idealizado por Ricardo Holderegger, Diretor de Tecnologia da Informação da Unisanta.

“O projeto representa uma ação de transformação digital que pretende desfazer as barreiras burocráticas nos processos. É uma maneira de implementar ações ágeis, com o uso de Recursos de TI eficazes, planejados para oferecerem soluções de negócio e respostas necessárias para a otimização das atividades da instituição de ensino”, explica Ricardo.

A premiação levou em conta as boas práticas de gestão realizadas pelo candidato nos últimos 12 meses.