Ana Marcela abre ano olímpico com etapa do Circuito Mundial em Doha

43

Primeira etapa da competição acontece na madrugada deste sábado 

Pentacampeã mundial de Maratonas Aquáticas, Ana Marcela Cunha, atleta da Unisanta, terá seu primeiro grande desafio na temporada 2021. É a etapa de abertura da Copa do Mundo da modalidade que será realizada em Doha, no Qatar. A prova de 10km, distância olímpica, marca a retomada das competições de nível mundial, após a paralisação provocada pela Covid-19. A largada será em Katara Beach e está prevista para as 3 horas (horário de Brasília).

Prata em 2020 e ouro em 2019, em Doha, Ana Marcela Cunha comemora o retorno das competições mesmo que de uma forma diferente.

“A organização criou diversas medidas restritivas para a realização da prova. Fizemos exame na chegada, ficamos dentro do hotel esperando o resultado… e estamos fazendo todas as refeições no apartamento. Mas essa, por enquanto, é nossa realidade. De qualquer forma é muito bom poder voltar a competir em alto nível, fazer o que mais amo. Venho treinando forte, estou segura e confiante em realizar uma boa prova”, contou Ana Marcela.

A tarefa, no entanto, não será a das mais fáceis. A prova tem 36 mulheres inscritas, sendo quatro já classificadas para os Jogos Olímpicos de Tóquio – Ana Marcela, a vice-campeã olímpica, a italiana Rachelle Bruni, a francesa Lara Granjeon e alemã Leonie Beck.

Além disso, alguns países utilizarão esta etapa como classificatória nacional para a segunda seletiva olímpica, que acontecerá em maio, no Japão. Nesse grupo estão a italiana Ariana Bridi, a equatoriana Samantha Arevalo e a francesa Aurelie Mulller.

“Vai ser uma prova de altíssimo nível técnico. Boa parte dessas adversárias estão vindo do treinamento em altitude, como é o caso das italianas. Teremos também a campeã da prova em 2020, a alemã Leonie Beck, além de um outro grupo forte que já está classificado para Tóquio ou que ainda briga pela vaga, portanto vai ser uma competição daquelas… bem disputada”, avaliou o técnico da brasileira, Fernando Possenti.

“O objetivo é nadar bem, o melhor possível. Mas o principal deles é relembrar o estado competitivo de alto nível, nível olímpico, que não testamos faz um ano, quando estivemos aqui no começo da temporada”, encerrou Possenti.