Alunos do Colégio Santa Cecília participam de simulação de eleição, com urna eletrônica

27

Na última quinta-feira (16/5), os alunos do Fundamental 2 e Ensino Médio do Colégio Santa Cecília participaram de uma atividade sobre a justiça eleitoral. Cada estudante teve a oportunidade de realizar um exercício de cidadania, através de uma simulação de eleição, votando em uma urna eletrônica.

A ação foi realizada em conjunto com o Chefe do Cartório Eleitoral de Praia Grande, Frederico Borges Affonso, que trouxe a urna até o colégio para a realização da atividade com os alunos. Para ele, a simulação é importante para que os futuros eleitores amadureçam a ideia de escolher um candidato que traga o que cada um deles procura.

“É um exercício de cidadania, eu acho muito importante mostrar para as crianças desde pequenas. É fantástico porque elas vão aprendendo gradativamente o que é ser um cidadão para a sociedade”, destacou Marilisa Grottone, Diretora do Colégio Santa Cecília.

O professor de História do Ensino Médio, João Carlos Oliveira, relacionou a atividade com a disciplina que leciona. “Nos auxilia a trazer o que a história já trouxe, a dificuldade que as populações passaram para ter direitos a participar politicamente, então a gente consegue construir a cidadania do aluno através da história”.

Lucas de Freitas, aluno do 1º ano do Ensino Médio e vereador do Projeto Câmara Jovem de Santos, ressaltou: “A gente aprende bastante nas aulas de humanas a importância de elegermos representantes responsáveis desde cedo e saber que também temos uma responsabilidade e direitos”.

As alunas do 2º ano do Ensino Médio, Ana Clara Fernandes e Ana Luiza Sécio, de 16 anos, tiraram o título de eleitor neste ano. As duas estudantes ressaltaram a importância da simulação para elas que vão participar de uma eleição pela primeira vez em alguns meses.

“Fazer a atividade da simulação foi muito bom porque eu tive um contato melhor de como vou fazer quando for minha hora de votar, de como funciona, de como são as regras e o que posso ou não fazer ”, destacou Ana Clara.

“Eu acho muito importante porque a gente, os jovens de 16 anos, já tem esse papel, o direito de exercer a cidadania. Então, como eu tive a oportunidade, eu quis tirar o título e votar porque acredito que essa nova geração pode alterar e garantir um futuro melhor para todos nós”, relatou Ana Luiza.