Estudantes de Engenharia de Computação desenvolvem projetos que reúnem tecnologia, meio ambiente e sustentabilidade

61

Texto: EC-EE/Unisanta

Buscando proporcionar ao aluno conhecimentos sobre as relações entre o homem, as tecnologias e os ambientes naturais e construídos, além de uma compreensão dos principais desequilíbrios no meio ambiente e seus impactos para a sobrevivência do planeta, alunos da disciplina Ciências do Ambiente, ministrada no quarto ano do curso de Engenharia de Computação da Unisanta, apresentaram diversos projetos que procuram reduzir o impacto das novas tecnologias e dos problemas advindos desses avanços para a sociedade.

Responsável pela matéria e pela orientação dos trabalhos, a professora e pesquisadora Alexandra Sampaio destaca que o objetivo do trabalho realizado com os estudantes é aprofundar o aprendizado sobre meio ambiente e desenvolvimento em diferentes níveis, além de fazer com que se conscientizem sobre a importância de se buscar novas práticas e soluções para um progresso cada vez mais sustentável.

“Os alunos são estimulados a aplicar os conhecimentos adquiridos durante os três primeiros anos do curso, alinhados com as premissas ambientais, desenvolvendo suas habilidades e sua criatividade de forma prática”, explica a docente, que acrescenta que, como a disciplina ocorre em um semestre, os estudantes precisam se aperfeiçoar no tema escolhido, desenvolver a ideia, planejar a execução e administrar o tempo disponível para conclusão do projeto dentro desse prazo.

Trabalhos em destaque
Um dos criadores do Alagou!, aplicativo proposto capaz de monitorar pontos de alagamento em tempo real, o aluno de Engenharia de Computação Pedro Marcos Pinto revela que o trabalho do grupo, também composto por Lucas Henrique dos Santos e Nícollas Leite Frazão Santos, envolve a preocupação em informar a população com rapidez sobre as consequências das chuvas em suas regiões.

“Nossos principais desafios envolveram a utilização de tecnologias que não havíamos estudado até então, além da elaboração de uma plataforma colaborativa, totalmente alimentada pelos próprios usuários, incluindo mecanismos que evitem o uso mal-intencionado. Também precisamos nos aprofundar em problemas que fazem parte do cotidiano da população em período de muita chuva, que são muitas vezes causados não apenas pelo acúmulo de água nos sistemas de drenagem, mas também pelo descarte incorreto do lixo e, eventualmente, até mesmo a ineficiência da coleta”, aponta.

Com o intuito de evitar o desperdício de energias geradas pelo próprio meio ambiente, o estudante Vinícius Gregório, em parceria com o também aluno do curso João Vitor Silva de Barros, apresentou o trabalho “Gerador e Gerenciador de Energia Proveniente de Águas Pluviais em Microcontrolador Arduino” e ressaltou que a dupla resolveu tirar proveito da energia pluvial em razão da simplicidade proporcionada pela obtenção da água da chuva.

“De longe, um dos maiores problemas que enfrentamos foi descobrir quando a bateria atingiria sua carga máxima, o que faria o gerador parar de enviar energia a ela, evitando sobrecargas e danos à própria bateria. O trabalho nos levou a despertar e a mostrar aos nossos próprios colegas o grave problema que é justamente o desperdício de energias”, sugere.

A apresentação e a criação de um protótipo de pia inteligente, capaz de auxiliar o usuário no processo de descarte correto do óleo de cozinha usado e separado de maneira automática, foi a ideia dos alunos Daniel Alexandre Carneiro, Manoel Fernando Thomaz Lopes Conceição e Thomas Tavares Dias, responsáveis pelo projeto IntPia. Em nome da equipe, Daniel explica que o grupo precisou buscar soluções relacionadas aos principais processos da pia, que envolvem a separação dos líquidos e a troca de recipientes.

“Foi complicado encontrar um mecanismo que fizesse essa separação e se adequasse ao nosso projeto. Após pesquisas, optamos por uma válvula solenoide dupla, cuja baixa vazão nos levou a modificá-la para amenizar o problema”. O aluno sinaliza ainda que a ideia poderia contribuir para diminuir significativamente a poluição causada pelo descarte incorreto: “com o nosso protótipo, o óleo será separado pela própria pia, diminuindo a poluição e facilitando a reciclagem”.

Já Angela de Lima Menezes, Bianca Magalhães Dionizio e Rafael Roberth Silva Sampaio criaram o aplicativo “Green Food Explorer”, que visa facilitar o relacionamento entre o público que busca opções sustentáveis e estabelecimentos do ramo e que, além da qualidade da comida, contribuem para o desenvolvimento sustentável através de boas práticas ambientais. Representando o grupo, Angela revela que, através do aplicativo, os usuários podem buscar restaurantes ranqueados por engajamento e separados por categoria, realizando avaliações e comentários, entre outras funcionalidades.

“Acredito que o ponto mais desafiador foi encontrar uma forma eficaz de quantificar o engajamento sustentável dos estabelecimentos do ramo alimentício, de forma que todas as categorias tivessem a mesma chance de ter um bom indicador de boas práticas ambientais, e a abordagem de desenvolvimento escolhida, que consistiu no desenvolvimento de uma aplicação móvel”, acrescenta a aluna, que enfatiza que o grupo chegou a ler diversas monografias sobre temas relacionados.

A professora Alexandra Sampaio, responsável pela disciplina e coordenadora do Núcleo de Pesquisas Hidrodinâmicas (NPH) da universidade, ressalta sua satisfação com o nível dos projetos apresentados, consequência direta do comprometimento dos estudantes: “Ao final do semestre, é sempre muito gratificante ver tanto os resultados dos trabalhos quanto à consciência que eles adquirem para se tornarem futuros profissionais e cidadãos comprometidos com as futuras gerações”, finaliza.

Relação de trabalhos desenvolvidos
Alagou! – Aplicativo para Monitorar Pontos de Alagamento em Tempo Real
Lucas Henrique dos Santos
Nícollas Leite Frazão Santos
Pedro Marcos Pinto
EcoSearch – Aplicação Web para Conscientização sobre o Meio Ambiente através de Linha do Tempo
Guilherme Lameiras Fernandez
Pedro Joaquim Verni
Ygor Telmo
Gerador e Gerenciador de Energia Proveniente de Águas Pluviais em Microcontrolador Arduino
João Vitor Silva de Barros
Vinícius Gregório
Green Food Explorer
Angela de Lima Menezes
Bianca Magalhães Dionizio
Rafael Roberth Silva Sampaio
IntPia – Separação de Água e Óleo
Daniel Alexandre Carneiro
Manoel Fernando Thomaz Lopes Conceição
Thomas Tavares Dias
Jogo de Conscientização para Descarte de Lixo
Douglas Enrique Duarte Lisboa
Gabriel Matos Matos de Souza Lima
Matheus Costa
Save the Water: um Jogo de Conscientização Ambiental
Filipe Maia da Silva Rodrigues
João Victor Alves Fernandes
Vinicius Coelho Medeiros Cosendey
Trash Go – Aplicativo para Auxílio de Descarte de Lixo Especial
Gabriel Reis Cruz
Luiz Micael Queiroz Cavalcante
Nícollas Alessander Rocha Araújo
Troca de Materiais Recicláveis
Gabriel Oliveira Salvador Silva
Marcus Vinicius Alves Rodrigues dos Santos
Raphael Augusto Elias