Alunos dos Programas de Pós-Graduação da Unisanta vivenciam experiências na disciplina de Ecologia de Campo: práticas em ambientes costeiros

110

Entre os dias 12 e 15 de novembro de 2022, alunos dos cursos de pós-graduação (stricto sensu) em Ecologia, Auditoria Ambiental e Ciência e Tecnologia Ambiental da Unisanta participaram de uma disciplina de Campo, na Reserva de Desenvolvimento Sustentável da Barra do Una, Peruíbe/SP.

Sob orientação dos professores Milena Ramires e Matheus M. Rotundo, realizaram atividades práticas de pesquisa ecológica em ambientes como trilhas, costão rochoso, restinga, estuário, praia, entre outros. Além disso, vivenciaram a experiência de serem recepcionados pelo Turismo de Base Comunitária (TBC) da RDS Barra do Una, através dos serviços de alimentação, hospedagem, monitoria ambiental e deslocamento de barco oferecidos por 14 famílias da comunidade.

A Reserva de Desenvolvimento Sustentável da Barra do Una pertence ao Mosaico de Unidades de Conservação Jureia-Itatins, uma das maiores áreas protegidas de Mata Atlântica do Brasil. Abriga uma comunidade tradicional caiçara, de aproximadamente 60 famílias, residente no local há muitas gerações, desempenhando um papel fundamental na proteção da natureza e na manutenção da diversidade biológica, através do compromisso com as normas de uso da RDS.

O TBC fomenta a valorização da cultura caiçara, pois é uma forma de turismo que integra as comunidades locais em práticas socioculturais, com intenção de gerar benefícios para as comunidades e para os visitantes, respeitando o meio ambiente.

Segundo Vania, uma das coordenadoras do TBC da RDS Barra do Una: “A comunidade vem desenvolvendo o TBC pautado na autogestão, na cooperação e na organização comunitária… trabalhamos em forma de rodízio e desta maneira conseguimos envolver os moradores que prestam serviços como monitores ambientais, piloteiros, cozinheiras e os que oferecem hospedagem. Os lucros são divididos entre as famílias que recepcionam cada grupo de visitantes. O TBC também tem contribuído para valorização da cultura caiçara por meio da culinária local e dos saberes tradicionais”.

O sucesso da disciplina foi medido pela satisfação da comunidade em receber nosso grupo de alunos e professores, bem como pelo alcance dos objetivos acadêmicos que são pautados não só nas práticas de pesquisa ecológica, mas também na troca de experiências entre a comunidade local e os alunos.

Carlos Roberto dos Santos, mestrando em Auditoria Ambiental, classificou sua participação na disciplina como “uma experiência incrível, pela oportunidade de interagir com a cultura caiçara da RDS Barra do Una e a sua relação com o meio ambiente. Também pela receptividade e cuidado que fomos recebidos pelo Turismo de Base Comunitária – experimentando iguarias, conhecendo a história da comunidade e vivenciando o bioma local”. Além disso, relatou que a disciplina ampliou seus conhecimentos: “Trabalhar em conjunto com os colegas dos Mestrados em Ecologia e Ciência e Tecnologia Ambiental foi algo muito produtivo, pois a troca de experiências e informações entre nós alunos e a tutoria dos professores Dra. Milena Ramires e Dr. Matheus Rotundo foi essencial para o engajamento do grupo e condução dos projetos individuais e coletivos (que foram dinâmicos e propositivos). O formato e proposta da disciplina foram enriquecedores, pois proporcionou a imersão nos projetos e o network entre nós alunos, o que pode gerar ótimos frutos para pesquisa e produção científica”.

A presença da aluna de graduação em Ciências Biológicas, Daniela Rotundo-Andrade possibilitou ainda a integração dos diversos níveis de formação da nossa universidade, uma vez que pode participar das atividades desenvolvidas pelos alunos de mestrado e doutorado.

“Com certeza este foi o aspecto mais interessante da desta turma 2022 da disciplina, a integração entre nossos alunos de graduação, mestrado e doutorado com a comunidade caiçara da RDS Barra do Una, representando muita troca de conhecimentos em prol da conservação ambiental”, relatou a Profa. Milena Ramires, que desenvolve pesquisas nesta Unidade de Conservação há muitos anos.