Alunos de Engenharia de Computação projetam impressora Braille de baixo custo

187

O equipamento estará disponível no InovFabLab a partir do dia 10 de dezembro. O projeto foi destaque no AT Ciências, do Jornal A Tribuna do último sábado (30).

Uma pesquisa, relacionada ao acesso à cultura e educação para deficientes visuais e realizada pelos alunos do curso de Engenharia de Computação da Universidade Santa Cecília (Unisanta), Bruno R. F. Souza, Daniel V. C. Zanutto, Rafael L. P. Santos e Walter T. M. Filho, e também com Imaculada Scorza, mãe de Guilherme, de 10 anos, aluno do Colégio Santa Cecília que possui deficiência visual, apontou que a aquisição de livros didáticos, de histórias e até mesmo religiosos impressos em Braille, se torna inviável devido ao alto custo em relação à impressão normal.

Até mesmo os pais em casa não conseguem estimular o aprendizado devido à falta desse recurso. A partir dessas considerações, foi elaborada uma impressora Braille de baixo custo, desenvolvida em parceria com o InovFabLab, com a maioria das peças impressas em 3D e também cortadas a laser. “Isso facilitará a replicação o projeto. Além dessa questão, o arquivo que contém o projeto ficará disponível em toda a rede, para que qualquer pessoa possa reproduzir em qualquer FabLab do mundo”, afirmou a professora Me. Sabrina de Cassia Martinez, uma das orientadoras do projeto. O prof. Me. Luis Fernando Pompeo Ferrara também orientou a pesquisa.

A pesquisa e o equipamento foram foco de matéria publicada na AT Ciências, do Jornal A Tribuna do último sábado (30). O tema da reportagem divulgada na revista foi Olhos em 3D. Na entrevista, Imaculada agradeceu ao Colégio Santa Cecília, por ter acolhido seu filho Guilherme e a ajudado sempre.