Mais um grupo de estudantes da Unisanta embarca para intercâmbio na Universidade de Coimbra, em Portugal

124
João Pedro Pereira Baskerville de Mello, estudante de Direito e Thaís Helena Plaça, de Ciências Biológicas.

A Universidade Santa Cecília – Unisanta enviará mais um grupo de alunos para o intercâmbio na Universidade de Coimbra, em Portugal. Os estudantes embarcam para terras portuguesas em busca de novos conhecimentos e experiências, no final de agosto.

Os intercambistas desta nova equipe são: João Pedro Pereira Baskerville de Mello (Direito), Thaís Helena Plaça (Ciências Biológicas), João Lucas Rabello Giuntini (Engenharia Civil), Maria Eduarda El-Chemor (Ciências Biológicas), Isabela Luizon (Engenharia Civil) e Hussein Mohamed Ali (Sistemas de Informação).

Maria Eduarda El-Chemor, aluna de Ciências Biológicas

O grupo conquistou, por mérito acadêmico, a bolsa de estudos José Bonifácio, que prevê 100% de isenção na matrícula e mensalidades na instituição portuguesa. Além das notas, os alunos também passaram por análise dos currículos no que se refere às atividades universitárias, como iniciação científica, congressos, estágios.

A parceria integra o edital semestral do convênio de Mobilidade Estudantil para atividades de ensino, pesquisa e extensão entre a Unisanta e a Universidade de Coimbra.

Hussein Mohamed Ali, aluno de Sistemas de Informação

Durante o intercâmbio, os estudantes cecilianos têm a opção de cursar disciplinas que serão ofertadas futuramente e depois solicitar a equivalência delas, quando retornarem, ou escolher matérias diferentes que sejam oferecidas apenas na universidade portuguesa.

“A internacionalização é uma das diretrizes da Unisanta e o estabelecimento de programas de cooperação é de suma importância para implantar, fortalecer e manter os laços de integração com os parceiros internacionais”, destaca o coordenador de Internacionalização da Universidade, Prof. Daniel Siquieroli.

Prof. Daniel Siquieroli, coordenador de Internacionalização da Unisanta

Ainda segundo o docente, “o intercâmbio internacional vai além da experiência acadêmica tradicional, fornecendo aos estudantes uma educação holística, que os prepara para os desafios e oportunidades de um mundo cada vez mais interconectado”, explica.

 

Expectativa – Aluno do curso de Direito, João Baskerville afirma que participar do intercâmbio em Coimbra é a realização de um sonho, que será alcançado após três anos correndo atrás do necessário, como atividades complementares, monitorias e outras atividades.

“Sempre quis ir para lá, porque, além de ser uma das melhores universidades da Europa, eu quero seguir a carreira de diplomata e acho essencial já ter uma experiência internacional agora. Vou ficar lá por seis meses e tenho uma expectativa muito grande em entender melhor o direito internacional e europeu, além de vivenciar a cultura portuguesa e conhecer pessoas de todo o mundo”, diz o estudante.

Para Isabela Luizon, estudante de Engenharia Civil, a oportunidade será uma experiência enriquecedora. Inicialmente, ela ficará na instituição portuguesa por seis meses, mas pretende estender sua estada por um ano.

“Decidi fazer o intercâmbio porque acredito que será uma oportunidade única para expandir meus horizontes acadêmicos e pessoais. Estudar na Universidade de Coimbra, uma instituição de prestígio, me permitirá acessar novos conhecimentos, tecnologias e metodologias europeias que enriquecerão minha formação e que poderei colocar em prática aqui no Brasil, ajudando na evolução do nosso país.

Ela afirma que escolher as matérias que irá cursar foi a parte mais desafiadora do planejamento, pois o programa oferece muitas disciplinas interessantes. Isso a levou a optar por disciplinas que irão agregar em sua grade curricular, levando como base os diferenciais europeus.

“Vai ser um desafio sair da minha zona de conforto e continuar estudando meu curso em outro país, sozinha, mas eu não poderia estar mais feliz com essa oportunidade. Sem dúvidas, é a realização de um sonho, que só está sendo possível graças ao convênio da Unisanta com a Universidade de Coimbra”, conclui.