Alunos de Sistemas de Informações fazem projeto com games

337

Os alunos do 1.º ano de Sistemas de Informações criaram jogos na disciplina de Desenvolvimento de Games, ministrada pelo professor Luís Fernando Bueno Mauá, como proposta de elucidar, a partir do conteúdo de Lógica de Programação e Algoritmos, as principais estruturas de programação na prática.

No projeto eles deveriam utilizar como base um jogo on-line chamado: The World’s Hardest Game (em portugês, O Jogo Mais Difícil do Mundo), fazendo a mudança da temática desde que o jogo fosse autoral. Tiveram temáticas ecológicas, de lógica, como xadrez, e de séries, como Stranger Things. Todos os projetos foram apresentados e depois os alunos compartilham seus projetos com os colegas.

Aos 18 anos, o universitário Leonardo Navasconi já acredita que essa interação ajudará futuramente em sua profissão, pois pode aprimorar os conhecimentos em lógica da programação. Nomeado de “Save the Sea”, seu projeto foi construído a partir de ferramentas simples da tecnologia, como Scratch e Piskel, em que foi possível criar um jogo que conscientize e alerte as pessoas sobre o grave estado do mar e como preservá-lo.

“Foi uma experiência incrível e muito divertida, visto que, ao mesmo tempo que estava fazendo algo que gosto e aprendendo com isso, sabia da possibilidade de estar ajudando a combater um problema”, ressaltou.

O docente da matéria também comenta como se sente feliz e orgulhoso vendo seus os alunos criando projetos tão diferentes e criativos. “Nesta disciplina eu explico as técnicas de criação de jogos utilizando lógica de programação, mas a criatividade fica por conta dos alunos”, explica ele. 

Mauá ressalta ainda que essa interação de games e tecnologia traz diversos benefícios aos alunos como potencializar o raciocínio lógico, estimular a criatividade, desenvolver o trabalho em equipe, a expressividade e a autoconfiança, além de melhorar o engajamento nos estudos e prepará-los para o mercado de trabalho.