Lúcia Teixeira está entre as 5 mulheres “nacionalmente relevantes”, segundo o Congresso Nacional

1042

O prêmio, criado em 2017, presta homenagem anualmente a pessoas que tomam iniciativas relacionadas aos direitos das mulheres, e a instituições, programas ou movimentos de cunho social de importância para o país.

A escritora, educadora e psicóloga Lúcia Maria Teixeira, presidente do Complexo Educacional Santa Cecília, será uma das cinco mulheres brasileiras agraciadas com a medalha Mietta Santiago. Outras homenageadas são a ministra Rosa Weber e  a senadora Mara Gabrili. O prêmio, criado em 2017 pela Câmara dos Deputados, homenageia iniciativas relacionadas aos direitos das mulheres e é entregue anualmente em março, em comemoração ao Dia Internacional da Mulher (8).

A indicação, da Deputada Federal Rosana Valle (PSB/SP), foi aprovada na quarta-feira (4/12), em uma votação que contou com a participação das 77 mulheres que compõem a bancada feminina, em Brasília. “Sempre admirei o trabalho de Lúcia Teixeira e sua postura. Receber a medalha Mietta Santiago será um reconhecimento merecido para essa santista ilustre que inspira muitas mulheres”, afirmou Rosana.

Lúcia Teixeira foi lembrada pela deputada devido ao exemplo que a educadora representa para as mulheres e sua luta em prol da participação feminina em todos os setores da sociedade. As pesquisas sobre o Ensino Superior de Lúcia embasaram o Plano Nacional de Educação e foram incorporadas como metas a serem alcançadas pelo Brasil. Presidente do Centro de Estudos  PAGU Unisanta, divulga as ideias e o pioneirismo de Patrícia Galvão, jornalista brasileira que lutou pelos direitos das mulheres e dos brasileiros durante sua vida ( 1910-1962).

Autora de 11 livros em diferentes áreas do conhecimento e inúmeros trabalhos culturais e sociais, recebeu muitos prêmios, além de indicações ao Prêmio Jabuti, o mais importante da Literatura brasileira por sua obra sobre Pagu. É diretora-presidente da Universidade Santa Cecília. Promove a Cultura, a Educação e a inovação científica. Com um olhar sempre em prol das mulheres e do desenvolvimento pleno de todos os cidadãos, facilitando o acesso à Educação,  tornou-se uma referência e um modelo a ser seguido. Está  a serviço do coletivo e da comunidade, em atitudes e ações concretas no cotidiano de muitas vidas.

Educação de qualidade e inclusiva

“ Sinto-me honrada em receber esse relevante Prêmio, por tudo o que ele significa, ao lembrar a luta de mulheres precursoras como Mietta e a mudança histórica de toda a sociedade brasileira. Agradeço imensamente a proposição da atuante deputada Rosana Valle e a participação das 77 deputadas da bancada feminina. Com o meu nome, está representada a minha família, que trabalha comigo, unida, e todas as mulheres e pessoas que trabalham para garantir o direito e o acesso à Educação de qualidade e inclusiva, com desenvolvimento humano e justiça global”, afirma Lúcia.

Foram indicadas ainda para receber o prêmio no Dia Internacional da Mulher: Luciana Lóssio e Telma Maria de Menezes Toledo Florêncio.

História

Mietta Santiago é o pseudônimo de Maria Ernestina Carneiro Santiago Manso Pereira. Nascida em Varginha (MG), ela questionou, por meio de um mandado de segurança em 1928, a proibição do voto feminino no Brasil, afirmando que isso violava a Constituição então vigente, que não vetava esse voto. Conseguiu assim o direito de votar e o de concorrer ao cargo de deputada federal.