Curta santista fala sobre resistência caiçara na Ilha Diana, com a participação de ex-alunos da Unisanta

157

A obra será apresentada em atividade on-line no próximo dia 08 de dezembro. Haverá bate-papo com a diretora e fandango caiçara na sequência

O curta-metragem Ilha Diana: resistência caiçara em meio ao maior porto da América Latina será apresentado na próxima terça-feira (08), às 19h. Com a presença da diretora Catharina Apolinário, formada em jornalismo pela Universidade Santa Cecília – Unisanta, a programação da noite traz ainda um bate-papo sobre cultura caiçara com Carlos Alberto Pereira Júnior e Camila Marujo, sob a mediação de Antonio Filogenio. Após as 20h30, acontece apresentação musical dos grupos Manema, Fandango Caiçara de Ubatuba e Batucajé. Toda a atividade será on-line.

Para criar o roteiro, a jornalista revisitou todo material que produziu durante anos de pesquisa e vivência na comunidade. “Recorremos ao que eu tinha produzido e guardado. E como tinha material. Vídeos, fotos, poesias, além de recortes do jornal Martim-Pescador, fotos da Fundação Arquivo e Memória de Santos, do padre da Capela Bom Jesus, Claudenil Moraes, e imagens produzidas pela comunidade.”

As pouquíssimas gravações no local só foram possíveis na reta final, de maneira espontânea e com muitos cuidados. Mas, segundo a jornalista, eram fundamentais para trazer o viés contemporâneo à obra. “Não tem como a gente fazer um filme hoje e não olhar para as mudanças que estão envolvendo a comunidade. Mais do que um documentário, este filme é uma carta de esperança em dias melhores.”

Compõem a equipe: Wellington Gomes, na produção, Lelê Lótus, na composição da trilha sonora, Catarina Bertholini, formada em Publicidade na Unisanta, e Vinícius Salgado, formado em Biologia na Unisanta, na edição e finalização. Para o produtor Welington Gomes, participar deste trabalho é uma forma de resistência. “Como morador da Ilha Diana, posso dizer que esse curta-metragem é de extrema importância, pois mostra que, mesmo com todas as dificuldades que enfrentamos, ainda resistimos para manter a cultura caiçara, mesmo que de uma forma simples, somos a resistência.”

O documentário foi pensado a partir de uma provocação do Ciclo de Cultura Tradicional, realizado pelas Oficinas Culturais, Programa da Secretaria de Cultura e Economia Criativa do Estado de São Paulo, gerenciado pela Poiesis.

Sobre o filme: Em meio ao Porto de Santos, caiçaras da Ilha Diana vivem de forma simples, transmitindo saberes da pesca, da culinária e da natureza que cerca o pequeno território na Área Continental santista, de frente para o Rio Diana e cercados pelo mangue. O modo de vida na pequena comunidade, que existe há quase 100 anos, segue como em outras cidades do território caiçara paulista, de onde vieram os seus primeiros habitantes.

Plataformas de transmissão: youtube.com/OficinasCulturaisdoEstadodeSaoPaulo 

Acessível em Libras

Redes: facebook.com/OficinasCulturais | instagram.com/OficinasCulturais