Robson Luiz Scaraboto Costa, ex-aluno de Engenharia Mecânica, acumula 21 anos de experiências profissionais em grandes empresas

52

Com um histórico profissional admirável, no qual são listadas passagens por várias empresas de grande porte e renome, além de uma formação acadêmica igualmente exemplar, Robson Luiz Scaraboto Costa, ex-aluno de Engenharia Industrial Mecânica da Universidade Santa Cecília está prestes a completar 22 anos de carreira.

Tudo começou em 1999 para Robson Costa, quando ele ingressou na Mercedes-Benz, marca alemã de automóveis, onde ocupou o cargo de auxiliar administrativo até 2003. E foi na Mercedes que decidiu ingressar no curso de Engenharia Mecânica. “Muitos profissionais de lá eram formados na Unisanta”, explica Costa, que iniciou sua graduação em 2003, aos 23 anos de idade, depois de concluir um curso técnico em Mecatrônica.

Robson Luiz Scaraboto Costa frequentou a Universidade Santa Cecília entre os anos de 2003 e 2007. “Lembro até de cabeça minha matricula, 314.192”, brinca o engenheiro, que também se lembra com carinho dos professores que passaram por sua formação, inclusive chamando-os de “mestres” e citando alguns: “Moino, Amaral, Bonassi, Célio, Gabriel, Huss, Lara, Valmiria, Marinho, Joaquim, Damim, George, Ponce, Santoro, Willy, Norifumi, Kenji, Molinari, Nassar, Demarchi, Freitas, Hamilton, Marques, JJ e Morila […] só saudade e agradecimento.”.

Enquanto sua trajetória acadêmica se enriquecia na Unisanta, sua carreira profissional evoluía simultaneamente. Costa deixou a Mercedes-Benz ainda em 2003, neste mesmo ano ingressou como estagiário de Engenharia Mecânica na Bridgestone, conglomerado japonês e maior fabricante de pneus do mundo.

Já no ano de 2004, Robson Costa ingressou no cargo de líder de produção da Freudenberg-NOK, grupo alemão de tecnologia global, onde permaneceu por quatro anos. Em 2008 mudou, mais uma vez de emprego, indo para a ZF do Brasil (ZF Friedrichshafen AG), empresa alemã e uma das maiores produtoras mundiais de peças automotivas, onde assumiu o cargo de coordenador de manufatura até 2011.

Durante mais de um ano, entre o meio de 2011 e o fim de 2012, Robson Costa trabalhou como supervisor de produção de todo o departamento de filtros de ar da empresa italiana Sogefi, líder global no fornecimento de peças originais para a indústria automotiva. Durante alguns meses de 2013, ele assumiu a supervisão da produção da empresa alimentícia estadunidense Kellogg’s e no mesmo ano retornou à Freudenberg-NOK, como chefe de produção, responsável pela divisão de injetados, cargo que ocupou por 7 anos e meio, até setembro de 2020, quando a empresa anunciou o fechamento de suas atividades de manufatura no Brasil.

Em novembro deste ano, Robson Costa assumiu o gerenciamento da divisão de bandas de rodagem da empresa Bridgestone, que já o havia empregado há 17 anos. Ele atualmente reside na cidade de Mafra, em Santa Catarina, onde está a fábrica de bandas de rodagem da empresa. “Os departamentos de Manufatura, Qualidade, Processo, Segurança e Melhoria Contínua respondem diretamente para mim”, comenta o engenheiro mecânico.

Além do curso técnico em Mecatrônica e da graduação em Engenharia Industrial Mecânica, Robson Luiz Scaraboto Costa é pós-graduado em Administração de Empresas para Engenheiros e em Gestão Empresarial e tem um MBA em Qualidade e Produtividade.

Prestes a completar 22 anos de carreira industrial, Robson Luiz Scaraboto Costa é um profissional exemplar do ramo que escolheu e se diz grato pelos ensinamentos passados durante o curso de Engenharia Mecânica na Universidade Santa Cecília: “Eu me sinto honrado em ter realizado minha graduação na Unisanta, sempre é um prazer e orgulho poder dizer que me formei em Santos”, conclui o engenheiro.