Ex-aluno de Engenharia de Computação, Matheus Marin é analista de negócios na multinacional Deloitte Brasil

125

Formado pelo curso de Engenharia de Computação da Unisanta, Matheus Marin é hoje analista de negócios da multinacional Deloitte Brasil, especializada em serviços de consultoria, auditoria e outsourcing. Fundada em Londres, no ano de 1845, a Deloitte Touche Tohmatsu Limited (DTTL) é considerada uma das quatro maiores companhias globais em seu segmento e possui atualmente 700 escritórios em mais de 150 países, nos quais atuam cerca de 345 mil profissionais.

Na empresa desde fevereiro de 2021, Matheus colabora na área denominada TS&T (Technology Strategy and Transformation) atuando como PMO (Project Management Office), responsável pela governança de projetos. “Fazemos a estruturação do plano de trabalho da implementação de um projeto, onde elaboramos cronogramas, organizamos reuniões e intermediamos o diálogo entre as áreas correlacionadas para cada pauta específica. A atuação do PMO vem para trazer boas práticas de gerenciamento de projeto, cuidando para que os prazos e demandas sejam (atendidos) de acordo com o cronograma estabelecido, identificando riscos e atuando para que sejam mitigados sem impactar o andamento do projeto”, explica.

Como cada projeto tem suas particularidades, Matheus entende que a capacidade de adaptação é um dos principais desafios profissionais que tem enfrentado: “Minha atuação depende muito da demanda de cada projeto, então é fundamental aprender rápido e ter boa comunicação para lidar com as dificuldades que vão surgindo”.

Enquanto estudante, Matheus salienta que a diversidade de áreas cobertas pelo curso contribuiu muito para o rápido entendimento dos diversos assuntos que cada projeto pode exigir. “Ainda que hoje eu não necessariamente atue na parte técnica, é importante ter ao menos um conhecimento prévio das tecnologias envolvidas no contexto de cada projeto. As diversas atividades em grupo das quais participei na época de universidade fizeram com que eu aprendesse a cooperar em torno de um objetivo, e as apresentações de trabalhos me ensinaram como elaborar este tipo de material e, principalmente, (falar) em público, algo muito requisitado no mundo corporativo”, enfatiza.

Ainda como parte de suas lembranças durante o seu período na universidade, o ex-aluno aponta a mudança na abordagem dos projetos ocorrida com a implantação do InovFabLab, laboratório de fabricação digital da Unisanta, através do qual educadores, estudantes e pesquisadores podem colocar em prática projetos inovadores fazendo uso de tecnologia de ponta: “O InovFabLab aumentou consideravelmente o leque de possibilidades de desenvolvimento prático de nossas ideias”.

Também enquanto aluno do curso e estagiário do NPE (Núcleo de Pesquisas em Eletrônica), Matheus aponta a sua participação em uma das feiras de profissões promovidas pela universidade como um dos dias mais marcantes que vivenciou: “Foi incrível poder compartilhar experiências e ver o brilho nos olhos daqueles jovens que vinham até nós para saber mais sobre o curso ou algum dispositivo desenvolvido pelos alunos que estava em exposição. Me senti extremamente feliz em conseguir, de alguma forma, inspirar outras pessoas”, finaliza Matheus, que se vê ainda em um período de afirmação de suas aptidões e preferências: “Desejo me tornar um consultor dentro da Deloitte, continuar estudando e me especializando e ser referência dentro da minha área de atuação”.