Alunos do curso de Engenharia de Produção apresentam projeto de um protótipo portuário

228

Os alunos do 8.° semestre do curso de Engenharia de Produção apresentaram, na noite da última terça-feira, 6 de dezembro, o projeto de um terminal multipropósito portuário. Ele tem como objetivo simular todas as operações do porto, como gates de entrada e saída de contêineres, costado e setor administrativo. A apresentação aconteceu no InovFabLab – Laboratório de Inovações da Unisanta.

O projeto foi elaborado nas aulas de Planejamento e Controle de Produção II, ministradas pelo Prof. Dr. Rafael Pedrosa. Além de Pedrosa, o coordenador das Engenharias de Produção e Mecânica, Carlos Alberto Moino, e o gerente do InovFabLab, Sérgio Schina, também estiveram presentes no evento. Os materiais utilizados para a montagem desta maquete foram produzidos no próprio Laboratório de Inovação.

Na oportunidade, os 20 alunos foram divididos em quatro grupos com cinco membros cada. Assim, ficou a cargo de cada ‘equipe’ montar um setor do terminal portuário. Mas, o que prevaleceu neste projeto foi o trabalho em equipe. Além, é claro, de participarem de uma experiência a nível profissional, ainda no âmbito acadêmico. Santos, vale ressaltar, é a cidade que abriga o maior terminal portuário do País. E este trabalho também visa direcionar os alunos para o mercado de trabalho.

“Nesse ponto que eles estão, já tem muita gente que está inserida na área portuária, nas empresas de Cubatão. Muitos dos alunos já têm uma visão (de profissional). Acaba sendo, para eles, uma troca de informações, cada um com sua experiência, alguns já efetivados em empresas da região”, destaca Carlos Alberto Moino.

Foram cerca de dois meses a trabalhar na montagem deste projeto, em que os estudantes, orientados pelo professor Pedrosa, conseguiram levar todo o conceitual de sala de aula, para a prática. “É fundamental, porque nós desenvolvemos um trabalho multiconceitual, ou seja, nós abordamos aqui toda a cadeia produtiva, daquilo que chega num terminal multipropósito”, fala Pedrosa.

Para Sérgio Schina, o InovFabLab é um acelerador do processo em que os estudantes passam para chegarem ao mercado de trabalho, prontos, além de ser o local ideal para a construção de projetos desse nível. “Isso, realmente, justifica o porquê de o InovFabLab estar aqui. E você consegue ver os resultados, cada vez mais melhorando o nível de tecnologia, de inovação, criatividade”, valoriza Schina.

Como foi construído o protótipo? – A parte de contêineres e armazéns ficou a cargo do grupo formado pelos estudantes Brenno Costa, Lucas Henrique, Raíssa Stefani, José Paulo e Giovanne Braghetto.

Para criar os contêineres, foi preciso utilizar as impressoras 3D e a cortadora a laser, com filamentos disponibilizados pela InovFabLab. Já o armazém foi feito na cortadora 3D. Em seu interior, ela leva farelos e grãos de milho, tudo a granel e ilustrado na maquete.

“É importante para termos noção de como funciona um terminal portuário no dia a dia. Não à toa, o terminal de Santos é um dos maiores da América Latina e muitos dos engenheiros formados acabam migrando para essa área. Termos o conhecimento disso é muito importante”, salienta Brenno Costa.

A parte do costado ficou com as alunas Ana Belli Carrilho, Arine Bastos, Luiza de Freitas, Bruna Fernandes e Alana Lacerda. Segundo Ana Belli, esse setor do protótipo é muito importante, porque é a parte em que o navio faz a operação de descarga e o embarque e desembarque de contêineres e mercadorias.

“E nós conseguimos trazer esse projeto que ficou bem interessante”, disseca a aluna. As impressoras 3D, os filamentos, as tintas de spray e as bolinhas de gel, que incham ao serem colocadas dentro d’água, foram os produtos utilizados para construir o setor do costado e deixar a maquete o mais realista possível.

Já o grupo formado por Thiago Guarda Oliveira, Rodrigo Yuki Simabakuro, Heitor Andrade, Julia Nascimento e Ramon Pinheiro ficou responsáveis pela infraestrutura da maquete. Ela fazia alusão ao terminal portuário. Para isso, foi utilizado material MDF e filamentos da impressora 3D. O aluno Thiago Guarda destaca o apoio dos professores do curso de Engenharia e o trabalho em equipe da sala, para a construção deste projeto.

A parte administrativa, em que foi construída a oficina e o gate de entrada, ficou sob a guarda dos estudantes Elaine Conceição, Juliana Muniz, Cecília Amorim, Mateus Alves e Tiago Costa. “Nós utilizamos MDF, na cortadora a laser e oficina. Já o gate, nós utilizamos a impressora 3D. Nós (também) fizemos caminhões e alguns contêineres”, comenta Elaine Conceição.

Por fim, o professor Rafael Pedrosa gostaria de parabenizar toda a turma pelo projeto inovador e empenho empregado. Ele ainda agradece a homenagem feita pela turma, que nomeou o terminal com o seu nome.