Rodrigo Yamamoto, médico fisiatra, reforça a importância do fisioterapeuta na recuperação de pacientes hemofílicos

135

A diretora de Saúde da Unisanta, dra. Caroline Teixeira, esteve presente na palestra.

O médico fisiatra Rodrigo Yamamoto esteve na Universidade Santa Cecilia na manhã desta quarta-feira (16/10), a convite da Faculdade de Fisioterapia e do Ambulatório de Hemofilia da Unisanta, para desenvolver o treinamento de alunos do curso, para que realizem um melhor atendimento aos pacientes do Ambulatório.

Tratando sobre Abordagem das Intercorrências Múltiplas Musculoesqueléticas no Paciente com Hemofilia e Inibidor, o doutor Rodrigo explicou um pouco sobre a doença, que é caracterizada por problemas de coagulação do sangue e não tem cura.

Segundo ele, o Brasil é o quarto pais com o maior índice da doença genética, que começa desde o nascimento e tem sintomas como sangramento nas articulações e músculos. Para ele, a importância de conversar sobre o tema com futuros fisioterapeutas se deve a dois fatores. “Primeiro, a informação. É muito importante que as pessoas tenham conhecimento da possibilidade de o paciente ter hemofilia. E a Fisioterapia é muito importante na recuperação do paciente com hemofilia e a reintegração deste na sociedade”.

Evelyn, aluna do quarto ano que já atua no Ambulatório de Hemofilia da universidade, diz que palestras como a de Rodrigo “agrega bastante, porque toda a informação sobre a doença facilita mais o nosso desenvolver do tratamento”.

“Todo o treinamento que nós pudermos proporcionar ao nosso aluno, para capacitá-lo a atender melhor os pacientes, é de suma importância”,  disse o diretor do curso de Fisioterapia, Dr. Ivan Cheida.

Formado em 2001, Rodrigo Yamamoto é o responsável pelo Ambulatório de Hemofilia no Instituto de Medicina Física e Reabilitação do Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo (IMREA-HC-FMUSP) – Rede Lucy Montoro.