Professora do curso de fisioterapia Vivian Vargas participará do programa da PTC Therapeutics

344

Vivian Vargas de Moraes Martins, professora do curso de Fisioterapia da Unisanta, foi a única fisioterapeuta do estado de São Paulo convidada para participar do programa da PTC Therapeutics do Brasil, biofarmacêutica global voltada para o desenvolvimento de tratamentos inovadores para doenças raras.

Chamado de “Programa de Preceptoria Doing More for Duchenne – Abordagem Fisioterapêutica”, a ideia central consiste em capacitar os profissionais selecionados sobre o manejo adequado e atual do paciente com Distrofia Muscular de Duchenne.

Serão 5 módulos: Módulo 1: Abordagem Médica; Módulo 2: Avaliação Funcional Fisioterapêutica; Módulo 3: Manejo de Fisioterapia Respiratória e Motora; Módulo 4: Discussão de Caso Clínico trazido pelo aluno; e Módulo 5: Vivência no IPPMG – Instituto de Puericultura e Pediatria Martagão Gesteira da Universidade Federal do Rio de Janeiro (módulo presencial), instituto de referência que atua conjuntamente com a PTC. 

Ela conta que ficou muito feliz e orgulhosa por ter conseguido essa conquista, sendo uma oportunidade única para uma capacitação em nível nacional de uma empresa internacional. “É uma área que gosto muito, me identifico desde minha formação e acaba sendo uma subespecialização dentro da minha especialização na área de doenças neuromusculares”, ressalta.

Um dos lemas do ambulatório é “Fisioterapia é tornar possível o que antes parecia impossível!”, e Vivan aplica isso com todos seus pacientes

Realizando esse curso, a professora será referência em Distrofia Muscular para o estado. Dentro da Unisanta, ela junto com a equipe do curso desenvolvem um trabalho muito importante voltado para esses pacientes e, em setembro, realizam o simpósio de Doenças Musculares, no dia 7 de setembro, em que se comemora o Dia da Consciência da Distrofia Muscular de Duchenne. Vivan agradece o forte apoio da Alta Direção da Unisanta, fazendo com que a universidade se torne referência na Baixada Santista para atendimento para esse perfil de paciente. 

“Teremos a multiplicação do conhecimento pelo curso, assim poderei repassar para os alunos, e a vivência prática pode viabilizar um ambulatório especializado para os pacientes com Distrofia Muscular de Duchenne, sendo um passo importante mim assim como para o Ambulatório de Fisioterapia Neurofuncional Pediátrica”, completa a professora.