Com o tema Periferia, nova edição da Revista Viral é lançada nesta quinta (21)

143

Evento reuniu alunos, professores e diretores de projetos sociais da Baixada Santista

Após meses de planejamento, busca de fontes, entrevistas, produção de documentários, textos literários e diagramação, a Revista Viral 2023 foi finalmente exibida e lançada para todos na noite desta quinta-feira (21), durante uma roda de conversa no Consistório da Universidade Santa Cecília (Unisanta). O tema da edição deste ano foi voltado para a Periferia.

Adentrando as páginas da revista, os alunos contam histórias de vidas e de personagens de diversas regiões periféricas da Baixada Santista. Os futuros jornalistas foram até a Vila Pantanal, passaram pelos diques de Vila Gilda, conferiram o verde nos canteiros do Jardim São Manoel, se embrenharam pelas comunidades da Zona Noroeste de Santos, nas regiões periféricas de Bertioga, nos bairros continentais de São Vicente e até no entorno de Cubatão.

Para o debate ‘Desafios da Periferia’, participaram os ativistas sociais Júlio Tumbi Are, coordenador do Educafro Santos, e Egle Rodrigues, coordenadora do Projeto Tia Egle, com mediação dos alunos Isabella Monteiro e Ronaldo Taralo.

“Estamos na rua tentando dar um respiro para as pessoas, porque o estado não dá isso para a população. Não importa se estamos fazendo certo ou errado, a periferia sempre será o lado culpado. Direitos Humanos é muito bonito, mas na favela não existe. Hoje está tão glamourizado, que até quando a gente ri e chora somos mostrados na mídia de outro jeito”, afirmou Júlio Tumbi Are.

Ao som de “O Morro Não Tem Voz”, de Tom Jobim, e “Lamentos”, de Pixinguinha, o conjunto musical do chorinho Tétrade, formado por Lucas Paini, Cesar Feitiço, Luan Pablo e Raul Pinheiro, ficou responsável por animar e encantar a noite de lançamento. O trio aproveitou o evento para exibir a música autoral “Capoeira na Praia”.

“É muito legal, eu como aluno estar participando, não só da produção do projeto, como também da parte musical e artística do evento. O pessoal ficou contente também de poder estar aqui, tocando na faculdade, em um evento universitário. A gente preparou um repertório relacionado com a periferia, com alguns artistas que têm mais sentido com o tema”, disse Cesar Feitiço.

A estudante do terceiro ano de Jornalismo, Letícia Alves, assistiu ao lançamento da revista entusiasmada e feliz com as matérias expostas. “É um projeto muito interessante que a faculdade proporciona para nós. Ter um trabalho que mais para frente a gente vai poder trabalhar com isso gera uma grande bagagem para a nossa carreira profissional. É um material liderado por alunos, supervisionado por professores da graduação e isso permite a gente sair da caixinha. Permite a gente ter mais acesso de ir para a parte da tecnologia, dos sites e blogs”.

A professora e uma das coordenadoras da revista, Raquel Alves, celebrou mais uma edição do projeto lançado. “Esse ano a gente atingiu um patamar, subimos o sarrafo, em relação ao projeto da viral. Fizemos um projetão multiplataforma, o projeto cresceu em relevância porque produzimos um tema difícil, que é a questão da periferia, que faz o aluno ser repórter, ir à comunidade. Além disso, cresceu porque estamos com mais mídias e aumentou a qualidade também. E esse evento coroa esse projeto, né? Muito feliz ver o desempenho da turma, quero agradecer inclusive porque eles entenderam a proposta e fizeram acontecer”.

Além da exibição da revista deste ano, o evento aproveitou o espaço para arrecadar absorventes para o projeto da Tia Egle, que promove ações socioculturais e esportivas dirigidas a crianças e adolescentes da Zona Noroeste.

Por Emerson Nascimento, Thalita Ferreira e Vitória Oliveira

Fotos: Marian Cursino