Adilson Luiz, engenheiro e pesquisador da Universidade Santa Cecília, participa do VII Coloquio Internacional de Patrimonio Portuario na Argentina

74

O engenheiro e pesquisador do Núcleo Avançado da Associação para a Colaboração entre Portos e Cidades (RETE) no Brasil, Adilson Luiz Gonçalves, fará a palestra sobre o tema “Desestatização da Autoridade Portuária de Santos e a Relação Porto-Cidade” no VII Coloquio Internacional de Patrimonio Portuario: Encuentro Interdisciplinario: Las ciudades portuarias en los procesos de globalización, a realizar-se no dia 11 de agosto, na cidade de Rosário, na Argentina, com sua participação de forma remota.

O Coloquio Internacional sobre Patrimonio Portuario é uma realização do Observatório de Comércio Internacional da Universidade Nacional de Lujan, na Argentina. Ao tomar conhecimento do evento e das temáticas a serem abordadas, o pesquisador encaminhou um resumo, tendo como tema A Desestatização da Autoridade Portuária de Santos e a Relação Porto-Cidade. O resumo foi aceito, sendo o tema considerado de extremo interesse pela Organização.

Adilson vem estudando esse tema como pesquisador do Núcleo de Estudos Portuários, Marítimos e Territoriais (NEPOMT) da Unisanta, Núcleo Avançado da Asociación para la Colaboración entre Puertos y Ciudades (RETE) e, sobretudo, como engenheiro da Secretaria de Assuntos Portuários e Projetos Especiais da Prefeitura de Santos.

O processo de desestatização da Autoridade Portuária de Santos é de extrema complexidade e tem gerado ampla discussão, abrangendo todos os atores envolvidos: governos, operadores, usuários e trabalhadores, além de toda a cadeia produtiva e logística associada.

Nesse contexto, sendo o principal complexo portuário do Brasil, responsável por cerca de 25% de sua balança comercial, com uma hinterlândia que concentra 70% do PIB do país, e de extrema relevância para a economia dos municípios da região, além de um de importante polo gerador de empregos, é importante discutir e aprofundar esse tema que impacta diretamente a relação porto-cidade.

“Nesse sentido, também é importante conhecer iniciativas e experiências de outras cidades portuárias”, ressalta. O pesquisador já publicou textos e coordenou outros artigos na Revista Portus 38, da Asociación para la Colaboración entre Puertos y Ciudades, e atualmente atua no Núcleo Avançado de Estudos Portuários, Marítimos e Territoriais da Unisanta.

Confira a apresentação: https://drive.google.com/file/d/1tWwDGlNOq-72JYTMbST257rCT_dbfQrG/view?usp=sharing