Mestre Márcio, da Unisanta, é um dos vencedores do Projeto Quebrando Barreiras

50

O Mestre Márcio Rodrigues dos Santos, professor do curso de Educação Física (Fefesp) e responsável pelo Capoeira Escola para Todos, foi um dos vencedores do Projeto Rexona Quebrando Barreiras no Brasil, organizado pelo Instituto Esporte & Educação (IEE), na categoria Líderes Comunitários e Jovens. Foram premiados professores de todo o Brasil, e Márcio foi o único da região a ser condecorado.

O concurso foi dividido em duas modalidades: Professores de Escolas Públicas ou ONGs e Líderes Comunitários e Jovens. Para inscrever-se, era necessário se identificar como professor, líder comunitário ou jovem e indicar a escola ou ONG da qual faz parte.

Inicialmente, para participar, foi pedido para que os participantes aplicassem os aprendizados nas ações com os alunos e, em seguida, enviassem um resumo das novas atividades que programaram como resultado do treinamento. Desta forma, os dez vencedores das duas categorias foram premiados com Bolsas de Apoios.

“É mais uma premiação que o Projeto recebe. A Unisanta é parceira, por meio da extensão comunitária Capoeira para Todos, que já tinha sido premiado em 2015, com o prêmio Comunidade em Ação (da TV Tribuna)”, enaltece Márcio.

Currículo, prêmios e formação – Atuando no ramo da Capoeira há mais de 26 anos, Márcio Rodrigues dos Santos também é professor em educação e práticas pedagógicas do ensino fundamental.

Em novembro último, recebeu uma homenagem da Coordenadoria de Promoção de Igualdade Racial e Étnica de Santos (Copire)/Segov e Conselho da Comunidade Negra pelos seus serviços prestados por meio do combate ao racismo e difusor da arte e cultura da Capoeira.

Alguns meses antes, em abril, ele foi condecorado com a mais nobre premiação da cidade de Santos: a outorga da Medalha de Honra ao Mérito Braz Cubas pela Câmara Municipal de Santos.

Com especialização nas áreas da fisiologia do exercício, treinamento desportivo, esportes adaptados e psicomotricidade, Márcio é pós-graduado em arte e cultura afro-brasileira, psicologia do esporte e treinamento desportivo e individualizado. Na área acadêmica, ele ministra aulas nas áreas de educação física e arte e cultura afro-brasileira.

 

Além disso, ele é coordenador do Projeto Capoeira Escola – Metodologia Capoeira para Todos, premiado por A Tribuna, no projeto Comunidade em Ação, em 2011 e 2015, como melhor projeto social e esportivo da Baixada Santista.

Antes disso, Márcio vem acumulando premiações. No ano passado, recebeu o prêmio de Cidadão Vicentino. Em 2020, ganhou da prefeitura de Salvador o prêmio “Berimbau de Ouro”, conhecido globalmente como a maior premiação da categoria. Foi, em 2019, condecorado com a medalha Quintino de Lacerda, concedida a pessoas ou entidades que saem em defesa dos direitos dos afrodescendentes. Ele também recebeu a Medalha de Mérito de 20 anos do CREF SP (Conselho Regional de Educação Física) no ano de 2018.

O que é o Projeto Quebrando Barreiras? – O Projeto Rexona Quebrando Barreiras no Brasil tem como objetivo empoderar jovens de todo o Brasil com a confiança e a oportunidade de se movimentarem mais. Assim, é possível se atualizar com as melhores ferramentas e práticas de incentivo ao movimento entre os jovens.

Nesta segunda edição, o projeto teve nove módulos em seu programa de treinamento e o IEE foi responsável pelo número 8, igualdade de gênero, sendo o único desenvolvido por uma ONG do Brasil. O módulo do IEE se concentra em como usar o esporte para derrubar barreiras, oferecer oportunidades e fortalecer a autoconfiança dos jovens.

Sobre o Instituto Esporte & Educação – Criado em 2001 pela medalhista olímpica Ana Moser, o Instituto Esporte & Educação (IEE) já atendeu a 6 milhões de crianças e jovens e capacitou mais de 55 mil professores e educadores em todo o Brasil.

A metodologia do IEE é baseada nos princípios do esporte educacional: inclusão de todos, construção coletiva, respeito à diversidade, educação integral, rumo à autonomia. Além das esportivas, as atividades realizadas são nas esferas da cultura, saúde, cidadania, protagonismo juvenil e ação comunitária.