Alunas ficam em 3º lugar no CONIC 2018, com trabalho sobre menor gasto de energia no transporte de óleo pesado

138

Engenharia Unisanta classificou 3 projetos entre os dez melhores do  CONIC 2018 na área de Exatas. Pesquisa de Fisioterapia  também  foi  considerada a melhor entre os trabalhos concluídos em sua área.

 Islanny Keja Trindade Oliveira Lins e Elisabeth Carolina Flores Jorquera (Eng. de Petróleo), orientadas pelos doutores Nelize Maria de Almeida Coelho e Deovaldo de Moraes Júnior, da Universidade Santa Cecília (Unisanta),  ficaram em terceiro lugar no CONIC/Semesp 2018, na área de Engenharias e Exatas, na categoria trabalho concluído, sobre economia no transporte de óleo pesado.

Utilizando uma película anular de água que envolve o óleo e o aprisiona no centro do escoamento, dentro de um duto, sem misturar as duas substâncias, elas reduziram em média 12 vezes a perda de energia por atrito de uma válvula “de gaveta”,  em relação àquela que ocorreria através de seu transporte na forma tradicional,  com óleo puro.

O experimento foi realizado em um dos módulos construídos no Laboratório de Operações Unitárias da Unisanta, coordenado pelo dr. Deovaldo.

“Levando em conta o volume de óleo transportado todos os dias nas instalações de transferência para as refinarias, essa redução de 12 vezes na perda de energia em válvulas de gaveta representa um aspecto econômico muito interessante”, afirma a professora Nelize Coelho,  autora de uma tese de doutorado que vai apresentar nesta quarta-feira (12/12), na Escola Politécnica da USP,  na qual o projeto dos alunos está inserido.

“Determinação experimental da perda de carga de válvula de gaveta operando com fluxo bifásico água/óleo pesado”  foi o tema do trabalho inscrito no Conic. A pesquisa foi sobre a técnica Core Annular Flow, a qual tem como objetivo transportar fluidos viscosos, como o óleo pesado, através de tubulações a um baixo custo e com alto rendimento.

“Essa prática introduz uma película anular de água que aprisiona o óleo na porção central do duto, por onde ele escoa, reduzindo drasticamente a energia despendida no bombeamento desses fluidos”.

“Todavia, apesar de muito promissora, há diversos aspectos que precisam ser estudados e aprimorados para que seja possível desfrutar, ao seu máximo, dos benefícios energéticos da técnica”, explica a professora Nelize. Um deles é o fator de projeto para a construção de instalações hidráulicas com a presença de acessórios de linha para operarem com o Core Annular Flow, tema do trabalho em destaque.

Economia

“Através dos ensaios realizados na unidade de bancada de Core Flow, a qual foi projetada e construída no Laboratório de Operações Unitárias da Unisanta, foi calculado um fator de projeto para a perda de carga de uma válvula de gaveta de 7x, ou seja, o equivalente a 700 % da perda de carga de um escoamento com vazão similar de água pura (a perda de carga é a energia perdida pelo atrito do fluido  com as paredes da tubulação)”, explica a professora Nelize. “Do ponto de vista energético, esse número representou uma redução média de 12 vezes a perda de carga do óleo puro, aquela que seria obtida através de seu transporte na forma tradicional”.

Com base  no volume de óleo transportado todos os dias nas instalações de transferência para as refinarias, uma redução de 12 vezes no consumo de energia de bombeamento representa um aspecto econômico muito interessante, principalmente quando se considera que 1/3 das reservas mundiais de petróleo são de óleo pesado, observa  a dra. Nelize  Coelho.

Trabalho em equipe

A dra. Nelize informa que a autoria principal do estudo é das alunas Islanny e Elisabeth, que contaram com a participação de outros alunos, “os quais foram divididos em pequenos grupos, especificamente para o CONIC, com a finalidade de se destacar as individualidades. Ressalta-se ainda a brilhante apresentação oral da aluna Islanny”.

“Foi um projeto em equipe, em que todos alunos participaram ativamente de todos os trabalhos enviados ao Congresso, que contou ainda com a contribuição multidisciplinar dos participantes (acadêmicos de Eng. de Petróleo, Eng. Química e Eng. Mecânica). O trabalho em equipe e a multidisciplinaridade são dois importantes pilares do “Team óleo”, que é como carinhosamente chamamos o grupo que tem o jaleco amarelado e sujo de óleo”, afirma Nelize.

Lembra a professora que  o “Team Óleo”  também foi contemplado com o 1o lugar no Congresso Brasileiro de Iniciação Científica no ano passado.

Ela destaca também a participação dos técnicos do Laboratório de Operações Unitárias e da Engenharia Mecânica,  “que foram fundamentais na construção e manutenção da unidade experimental”.

“O resultado desse trabalho é inédito e não consta em nenhuma literatura da área. Está sendo preparado um  artigo científico para divulgação em revista internacional com os resultados obtidos na Unisanta.   A pesquisa também é parte integrante da minha tese  de doutorado, que será defendida  nesta quarta-feira, dia 12/12 às  9h30, na Escola Politécnica da USP”.

Outros trabalhos premiados no CONIC

A Unisanta participou do 18º CONIC através de trabalhos inscritos por alunos de diversas faculdades da instituição.  Entre os quatro melhores estudos premiados de todas as áreas, na Categoria Concluída, estava o apresentado na Área de Ciências Biológicas e Saúde/ Subárea: Fisioterapia:

Título: “Relação entre medo de cair com dupla tarefa funcional em idosos e sem déficit de atenção”. Autor: Amanda Azevedo Fumagalli  Orientador: Sheila Borges

Categoria em Andamento:

  • Área – Ciências Exatas e da Terra/ Subárea: Engenharias

Título: “Utilização de lama de aciaria na fabricação de bloco de concreto”. Autores: Delson Tavares Pessoa Junior; Leonardo Lucas Oliveira de Oliveira e Matheus Cruz Santana.  Orientador: Paulo Eduardo de Oliveira Andrade

  • Área – Ciências Exatas e da Terra/ Subárea: Engenharias

Título:Ciclo de manutenção de desvios ferroviários”. Autora: Raquel Martins Rodrigues. Orientadores: Willy Ank de Morais e Áureo Emanuel Pasqualeto Figueiredo.