Inovações científicas acadêmicas na tecnologia e sustentabilidade são tema de painel nesta terça

59

A inovação tecnológica dentro da academia fomenta a criação de novas políticas públicas com avanços e mais sustentabilidade. O assunto será tema de um Painel Bilateral Brasil França no segundo dia do 1º Seminário Brasil-França, que acontece na Universidade Santa Cecília nesta terça-feira (10), às 11h30 (16h30 no horário de Paris).
O painel contará com a presença da reitora da Unisanta, a dra. Sílvia Ângela Teixeira Penteado, representando a Universidade, e com o dr. Jean-Philippe Lagrange, que é diretor científico do Instituto Mines-Télécom, em Paris. A moderação será realizada pelo professor Ari Brito.

De acordo com dra. Sílvia Teixeira, a importância da participação da Unisanta neste painel é importante para criar laços entre a Universidade e as diferentes instituições públicas, privadas e os organismos de pesquisa e inovação tecnológica que prestigiam o evento. “Nós teremos representantes do governo em várias instâncias e órgãos de fomento. São órgãos que financiam pesquisas, além do Consulado Francês e a academia. A Unisanta irá representar o Brasil, e representando a França, teremos o grande Instituto Mines-Télécom, que é um dos mais importantes institutos de pesquisa públicos”.

A reitora ressalta que a Unisanta já tem similaridades com o instituto francês em alguns projetos que são desenvolvidos, o que deve contribuir para o debate. “Vamos fazer com que novas trajetórias científicas possam embasar novos programas que estão previstos para a agenda da ONU do desenvolvimento sustentável em 2030, e também a agenda da questão da redução da emissão de carbono, principalmente nos transportes marítimos, rodoviários, a questão da salubridade dos oceanos”.

No painel, a Unisanta poderá se caracterizar e mostrar seu perfil de pesquisa e objetivos, segundo Sílvia Teixeira. “A Unisanta vai poder, neste painel, caracterizar quem é a instituição, e quais são os seus cursos, qual é o seu objetivo, qual é o perfil de formação, que é importante para o país e para o mundo neste momento, em que nós estamos discutindo as questões ambientais, sociais e também econômicas”, completou.

Por fim, ela explica que a ideia do Painel Bilateral Brasil França é detalhar os projetos desenvolvidos em ambas instituições para que, no futuro, eles sejam aplicados às políticas e cheguem até a população. “Esse seminário, as ações da Unisanta e dessa outra instituição e tantas outras que se juntam a nós, poderão embasar essas estratégias científicas que possam embasar as ações de governo e, principalmente, fazer essa transferência de conhecimento, que deve estar a serviço da comunidade e das grandes decisões que o Brasil e o mundo precisam tomar”, finaliza.

1º Seminário Brasil-França
O Seminário Brasil-França ocorre nesta segunda (9) e terça-feira (10), no auditório principal da Universidade Santa Cecília (Unisanta), em Santos.

O encontro reunirá especialistas brasileiros e franceses das principais universidades dos dois países que apresentarão pesquisas e estudos com as potencialidades e alternativas para a ligação entre a Capital e o maior porto da América Latina, bem como os caminhos para o transporte de carga nas próximas décadas e as questões de sustentabilidade envolvidas.

A abertura do seminário ocorreu no auditório da Universidade Santa Cecília, e contou com a presença de diversas autoridades como Mathieu Rivallain, cônsul geral da França em São Paulo, José Manoel de Aguirre Neto, da Secretaria de Logística e Transporte, Luiz Ricardo Santoro, secretário executivo da Secretaria Estadual de Infraestrutura e Meio Ambiente, e Marcelo Teixeira, presidente do Conselho de Administração da Unisanta.

Na abertura também estavam presentes a Dra. Sílvia Teixeira Penteado, reitora da Unisanta, Dra. Lúcia Teixeira, presidente da Unisanta, Dr. Marcelo Teixeira, o diretor do Sistema de Comunicação Santa Cecília, Marcelo Teixeira Filho, a engenheira Lígia Mackey, presidente em exercício do CREA-SP, Ronald Marangon, diretor superintendente da Ecovias, e Jean-Philippe LAGRANGE, diretor científico do Instituto Mines-Télécom, Paris, por vídeo.

Fonte: Santaportal