InovFabLab e o Observatório Portuário inovam e constroem um protótipo portuário de um navio

112

Além de fins didáticos, o projeto também atenderá pessoas com deficiência visual, que poderão entender (através do tato) o funcionamento de um porto.

Tornar a experiência de andar pelo porto de Santos possível àqueles que são deficientes visuais. É assim que o diretor dos cursos de pós-graduação da Unisanta Rafael Pedrosa define os Protótipos Portuários de um Navio construídos em parceria com o MBA em Gestão Portuária e Operações Internacionais e o Observatório Portuário com o auxílio dos equipamentos e profissionais do InovFabLab.

A estrutura, que mede 130mm de largura por 325mm de comprimento, foi feita com material de propileno e com a ajuda das impressoras 3D do InovFabLab. De acordo com Pedrosa, a ideia da maquete é incluir os deficientes visuais para a aula. “Posso desmontar (o protótipo) e exemplificar melhor cada compartimento de um navio àquele deficiente”, falou Pedrosa sobre uma das outras funções da maquete.

Ele conta que a ideia surgiu como forma de melhorar o processo de aprendizagem dos deficientes, pois já que eles só têm o sentido da audição; a imagem, que é uma parte importante do estudo, graças ao projeto, acaba ganhando um contorno especial.

Os beneficiados dessa maquete serão os alunos das matérias de Gestão e Porto Terminais, do curso de Administração, MBA em Gestão Portuária e Operações Internacionais e os tecnólogos de Logística e Comércio Exterior. Todavia, nos demais cursos, podem utilizar o equipamento sob diferentes abordagens quando o tema possuir sinergia.
A maquete ficará no InovFabLab à disposição também dos acadêmicos, mas, sobretudo, para os deficientes visuais que precisarem da estrutura.

Nesta mesma linha – de responsabilidade social, o gestor do Observatório InovFabLab destaca o trabalho “Porto às Cegas” que vai servir como complemento ao da maquete. O intuito é colocar um vídeo com todos os sons e movimentos que há no porto de Santos, e, em paralelo, os deficientes visuais irem tateando o navio, para que assim tenham uma experiência completa do que seria caminhar e escutar os barulhos da região portuária de Santos.