Docente da Fefesp, Alexandre Galvão, fala ao jornal A Tribuna sobre Obesidade

18

Em matéria publicada no caderno Cidades, página A-5, o docente informa sobre uma relação da tecnologia com o aumento da obesidade brasileira.

Julia Moura, estágio acadêmico

Alexandre Galvão, professor do curso de Educação Física da Universidade Santa Cecília, concedeu entrevista ao jornal A Tribuna para falar sobre o Dia Nacional de Prevenção e Internacional de Combate ao Sobrepeso, que acontece nesta sexta-feira (11/10).

“Pelo menos 20% dos brasileiros são obesos, de acordo com o Ministério da Saúde. A obesidade virou um problema não só aqui, mas em vários países. Tanto,  que hoje é considerado o Dia de Combate ao Sobrepeso no Brasil e no mundo. “, iniciou o jornal.

Para Alexandre, as causas dessa doença são bem claras. “Estamos fazendo pouca atividade física e consumindo muitos alimentos industrializados, que são gostosos e de fácil acesso, mas extremamente calóricos”.

A crescente da tecnologia também tem seu papel no aumento da obesidade, desde a década de 1950, segundo Alexandre. Para ele, com o processo de industrialização, que gera uma má alimentação, e o aumento das tecnologias, o resultado é bem simples: sedentarismo. Com a tecnologia, as pessoas passaram a abandonar atos simples, que influenciavam na conta entre gasto energético e consumo de calorias.

“Antes, as pessoas iam a pé para o trabalho, à padaria. Subiam escadas, abriam o vidro do carro. Hoje, é tudo elétrico. Sem contar os aplicativos que facilitam tudo e as redes sociais que tomam mais tempo e elevam o sedentarismo”.

Alexandre também ressaltou uma pesquisa que comprova que quando só existia um telefone fixo em casa e uma extensão, as pessoas deixavam de ganhar dois quilos por ano, o que já não acontece mais, por conta do celular.

O jornal A Tribuna também citou o Laboratório de Fisiologia do Exercício (Lafes) da Unisanta, coordenado pelo professor Alexandre Galvão, divulgando para os interessados em se prevenirem da doença.