Professora da Unisanta, Márcia Santtos, é convidada a expor seus trabalhos em Bienal Internacional de Gravura

10
Créditos: Site da Prefeitura Municipal de Araraquara

O evento acontecerá de 30 de novembro de 2018 a 30 de janeiro de 2019.

Devido a seu reconhecimento como artista representante da gravura brasileira contemporânea, a docente do curso de Arquitetura e Urbanismo da Universidade Santa Cecília (Unisanta), Marcia Santtos, foi convidada como expositora da 5ª Bienal Internacional de Gravura “Lívio Abramo”, que será realizada entre os dias 30 de novembro de 2018 a 30 de janeiro de 2019, na cidade de Araraquara, SP.

Segundo Márcia, no Centro Cultural de São Paulo, dedicado às xilogravuras de Lívio Abramo, há um catálogo de 1983, onde consta um relato emocionante do artista comentando que , ao sair de uma mostra de gravuras expressionistas alemãs,  sentiu urgência em experimentar o processo. Assim, sua primeira gravura foi realizada com uma gilete e um pedaço de madeira que estavam em sua casa.

A artista se identifica com essa história pois ela também sente urgência, frequentemente, de materializar a arte da gravura. E foi uma dessas urgências recentes, que surgiu a atual pesquisa de gravuras feitas em matrizes de tetrapak, embalagens descartáveis utilizadas para litros de leite e outros alimentos..

“Estava em meu Ateliê: o Gravurar e , na impossibilidade de trabalhar placas de metal, decidi experimentar o tetrapak,  que se mostrou receptivo à gravação e impressão. Resulta disso, que serão trabalhos dessa pesquisa recente que representarão minha obra gráfica na Bienal”, conta a docente.

A Bienal tem por objetivo homenagear ilustres gravadores brasileiros, além de divulgar a arte e artistas fundamentais que trabalham essa linguagem. A docente está animada para expor suas obras nesta edição. “Fico agradecida pelo convite que se deve ao reconhecimento de meu singelo trabalho gráfico. Espero que meus trabalhos homenageiem humildemente esse grande nome da gravura nacional. Estou imensamente feliz com o convite. ”

Obras expostas

Os trabalhos de Márcia Santtos que serão expostossão inspirados em construções do Centro Histórico de Santos, próximos a seu ateliê, o Gravurar. As edificações têm  valor histórico, em sua maioria, servindo a pequenos comércios e moradias para famílias de baixa renda. Essas edificações retêm a história da cidade e possibilitam um contato coletivo da população anônima como atores principais da própria história.

Esses edifícios preservam em si uma memória social.  As edificações selecionadas para compor essa série de gravuras não são de fato de extrema importância na história da Cidade, mas possuem elementos que mostram à sociedade outra época, resgatando memórias e materializando a identidade da comunidade.  As edificações, criam assim, vínculos afetivos entre as gerações passadas, presentes e futuras,  possibilitando a população do entorno enxergarem-se como sujeitos da história.  O patrimônio preserva assim a identidade do povo, dá a ele consciência de seus direitos e obrigações com a sua localidade.

Selecionando as edificações por seu valor afetivo, a artista destaca a precariedade de seu estado atual de diferentes maneiras.

Plasticamente enfatiza ou retira elementos, interpretando o essencial. Se existe a ausência explicita do ser humano nas imagens gravadas, ela está colocada de forma implícita no uso de detalhes de cor, a única vida que resta na edificação. Esses detalhes sinalizam que somente a sociedade pode salvar ou destruir sua própria identidade.