O profissional formado em Engenharia de Controle e Automação – Mecatrônica poderá trabalhar em diversos tipos de empresas, como na indústria automotiva, na alimentícia, nos grandes magazines e no setor portuário, entre outros. O engenheiro formado neste curso terá conhecimentos em mecânica, eletrônica e computação.

A Universidade Santa Cecília (Unisanta) oferece para 2020 o curso de Engenharia Mecatrônica, que foi estruturado para atender aos novos desafios impostos pela Indústria 4.0. Serão profissionais preparados para a era de interação digital nos processos produtivos, integrando-se aos tempos de mudança e evolução constante.

Desenvolver equipamentos mecânicos na indústria e automatizar, por meio de computadores, unindo conhecimentos de mecânica, eletrônica e computação, são alguns dos objetivos da Engenheira Mecatrônica. A atuação do engenheiro mecatrônico passa pelo conhecimento e projeto e manutenção de equipamentos e máquinas industriais.

O mercado de trabalho para este profissional é bem vasto, pois ele pode trabalhar em muitos tipos de empresas. A indústria automotiva, por exemplo, tem uma infinidade de engenheiros mecatrônicos, pois há um enorme número de sistemas mecatrônicos embarcados em um automóvel: portas que se abrem sozinhas, sistema “start-stop” para economizar combustível, etc. Outro exemplo está na indústria alimentícia, cuja produção requer o controle e automação das esteiras utilizadas para o envasamento de bebidas, alimentos, controle de temperatura de fornos, etc. São equipamentos projetados por este profissional.

Até os grandes magazines, que têm armazéns de distribuição, precisam de um engenheiro mecatrônico, pois a armazenagem e seu controle passam por sistemas mecatrônicos.

O setor portuário é outra grande possibilidade de mercado. Especialistas projetam que, em poucos anos, o porto será completamente automatizado, e é o engenheiro mecatrônico que vai fazer isso.

De acordo com o dr. José Roberto Cardoso, assessor acadêmico da Unisanta, a Engenharia Mecatrônica é uma especialidade da Engenharia em que o aluno aprende aquilo que é necessário para atender a todas as necessidades que o engenheiro eletrônico e o engenheiro mecânico demandam.

“Ele vai trabalhar com uma série de máquinas. Essas máquinas são controladas por redes computacionais, por computadores, por softwares; então, essa interface da mecânica com a elétrica é justamente a área de trabalho do engenheiro mecatrônico”.

Para isso, além dos laboratórios articulados com as inovações tecnológicas, a metodologia ativa de ensino é a referência dos processos de aprendizado. A utilização de aplicativos e de meios digitais permite dinamizar as aulas e enriquecer as bases de pesquisa e desenvolvimento de projetos no curso.

“Como previsto nas novas Diretrizes Curriculares Nacionais do Curso de Graduação em Engenharia, o curso permite que o aluno adquira, no seu desenvolvimento, as competências necessárias às atividades profissionais de engenheiro mecatrônico, sendo que, em sua formação básica, são considerados os fundamentos das ciências de engenharia, incluindo a base matemática, aperfeiçoamento do raciocínio lógico e análise crítica”, afirma do coordenador do curso de Engenharia da Unisanta, Prof. Eng. José Carlos Morilla.

Grade curricular
Disciplinas que abordam a IoT (Internet das Coisas) e a Indústria 4.0 fazem parte da grade curricular do curso. A estrutura do curso permite que o egresso atue no uso e desenvolvimento de tecnologias de controle e automação de processos, sejam eles industriais, comerciais ou de serviços. Um exemplo é a disciplina de Robótica: nesta disciplina será aprendido como controlar um braço de robô; uma formação que transita pelas três especialidades: mecânica, elétrica e computação.

“O aluno terá um curso avançado no que se refere às disciplinas, porque o curso está muito atualizado, muito bem formatado, para o que se exige atualmente de um engenheiro mecatrônico. Ele terá contato com ciências de dados, com machine learning (aprendizado de máquina – conceito associado à inteligência artificial), internet das coisas e outras novas tecnologias”, afirma Cardoso.

De acordo os diretores da Faculdade de Engenharia da Unisanta, Dr. Antônio de Salles Penteado e Prof. Dr. Aureo Pasqualeto Figueiredo, Outros importantes objetivos do curso de Engenharia Mecatrônica permitirão aos alunos:

Compreender a física e ciências da vida, a tecnologia de informação, o entendimento dos processos de manufatura e as ações em que a engenharia é praticada; elaborar projetos que considerem não apenas atender a demandas e resolver problemas, mas contemplar uma visão aplicada para evitar perdas e desperdícios.

Considerar os aspectos de viabilidade econômica da prática de negócios, da história, meio ambiente e necessidades dos clientes e da sociedade. Preparar-se para atuar em equipes de conhecimentos e experiências diferentes. Em todas as atividades formais, praticar uma comunicação oral e gráfica com correção e objetividade.

Cardoso completa dizendo que o Curso já obedece às novas Diretrizes Curriculares da Engenharia (DCN). “Neste curso os alunos vão ter que praticar competências que são preconizadas por essas DCN, que os engenheiros modernos precisam ter”.

Além de ter uma competência técnica importante, formação básica, formação técnica de alto nível, o engenheiro mecatrônico também terá que dominar competências diferenciadas, por exemplo, comunicação. Ele vai aprender a se comunicar, será treinado para trabalhar em equipe, aprenderá sobre economia, projetos, manufatura, entre outros itens que atualmente adquiriram uma relevância muito grande na engenharia.

“O aluno ficará permanentemente praticando esse tipo de competência, de modo que ele já vai sair da universidade com uma formação moldada para o que o mercado exige”, conclui Cardoso.

Duração: 10 semestres (3650 horas)
Período: diurno/ noturno
Vagas: 100 (50 diurno + 50 noturno)

Faça sua inscrição