“Caravana do Riso”, idealizado por ex-alunos de Odontologia da Unisanta, vence 16º Prêmio Comunidade em Ação

36

O trabalho foi premiado na categoria Ação Social. Solenidade ocorreu na última terça-feira (28) no SESC de Santos

O projeto social Caravana do Riso, de autoria de três ex-alunos de Odontologia da Universidade Santa Cecília, venceu o 16º Prêmio Comunidade em Ação na categoria Ação Social. Essa iniciativa do Jornal A Tribuna e da Ultracargo existe para reconhecer as atividades das instituições da região que colaboram de alguma forma com a vida e o bem-estar da população. O anúncio e entrega dos prêmios ocorreu na noite da última terça-feira (28),  no SESC de Santos.

Arthur Massarenti, ex-aluno de Odontologia e participante do projeto Caravana do Riso, declarou  que o ponto-chave para a iniciativa ter alcançado tamanho reconhecimento é o engajamento da equipe. “Acima de qualquer coisa,  o engajamento das pessoas é a comprovação de que    todo mundo se uniu pela mesma causa. Todo mundo vestiu a mesma camisa e estamos juntos lutando por esse sonho que é de todos”.

Matheus Bastos, ex-aluno de Odontologia e membro do grupo, cita também o engajamento como a parte mais emocionante do Projeto Caravana do Riso. “Esse projeto só acontece não porque algumas pessoas começaram, mas também porque muitas outras resolveram seguir em frente com a nossa causa. O mais emocionante é o engajamento e o que a gente criou entre nós”.

Bárbara Lima, também ex-aluna de Odontologia e voluntária do projeto, afirma que o projeto se formou através de um grupo de amigos e que se tornou algo grande. “Nós três nos conhecemos na universidade, mas é um projeto muito mais coletivo e amplo. Ele surgiu através de uma conversa informal que tivemos e quando decidimos entrar em ação (para ajudar) em situações sociais que não eram boas,  utilizando-se da Odontologia,  que é nossa formação”, conta ela, que enfatiza também o impacto de sua profissão na sociedade.

“Acredito que a Odontologia tem uma relevância enorme para a sociedade. Achamos que, ao consertar problemas que surgem, como por exemplo,   a colocação de dentes, você começa a reposicionar uma pessoa socialmente, com a mudança da aparência “, conclui Bárbara.

Finalista –  Lançado em 2001, como uma forma de atender pessoas necessitadas que não encontravam espaço em outros atendimentos, o Centro de Referência a Amputados na Clínica de Fisioterapia da Universidade Santa Cecília (Unisanta) também foi finalista do Prêmio. Os cursos de Fisioterapia, Engenharia e Farmácia trabalham juntos para ajudar pessoas que perderam algum membro corporal, com o auxílio de próteses e exercícios.