Economista e docente da Unisanta, Jorge Manuel de Souza Ferreira, fala sobre os cuidados nas compras de final de ano

14

Segundo ele, a facilidade de adquirir um produto pela internet e aplicativos faz com que as pessoas percam o controle das contas

O professor de Economia da Universidade Santa Cecília (Unisanta), Jorge Manuel de Souza Ferreira, foi uma das fontes procuradas pelo jornal A Tribuna para ajudar os consumidores a planejar seus gastos nesse fim de ano.

A reportagem, publicada na página A-7 do caderno Cidades na edição desta terça-feira, 27/11, destaca que uma das mais importantes partes para se pensar nesse período é o bolso.O docente explica que a facilidade de comprar através da internet e aplicativos, vem atraindo as pessoas e fazendo com que percam o controle sobre os gastos. Para não cair em armadilhas, os consumidores devem seguir uma regra importante, a de avaliar se compra é necessária.

“Tem que fazer uma lista, logicamente se organizando em relação às necessidades. Não adianta comprar o que quer, se o bolso não comporta”, comenta o professor.

O comprador que já estiver endividado deverá ter mais precaução nessa época do ano e usar o dinheiro para renegociar juros e pagar dívidas. “Senão, o consumidor parcela o Natal de 2018 para terminar de pagar só no Natal de 2019”, diz.

Para quem não quer deixar de presentear, Jorge Manuel de Souza aponta que uma possível saída seria sugerir um amigo secreto com valor médio do presente estipulado e até uma lista de desejos. “Muitos fogem (da lista), mas é interessante porque cada um gasta com apenas uma pessoa e ainda assim, todos saem presenteados”.

E ainda complementa que, se mesmo assim, os valores não cabem no orçamento, é melhor não comprar nada. “Feio não é dar lembrança. Feio é depois entrar no rotativo do cheque especial”, explica o economista.