Unisanta prorroga prazo de inscrição para o Programa de Iniciação Científica 2018-2019

174

Aluno de Ciências Biológicas, Murilo Ribas de Biaso é um dos que  participa com destaque de programa de bolsas à disposição dos alunos. A novidade deste ano é o enfoque em projetos de inovação e tecnologia. 

Estão abertas as inscrições para a seleção de projetos de Iniciação Científica da Universidade Santa Cecília (Unisanta), para o período 2018-2019. Os alunos interessados deverão submeter seus projetos até o dia 6 de maio, na plataforma de pesquisa: http://pesquisa.unisanta.br/

O Programa de Iniciação Científica (PIC-Unisanta) compreende as modalidades: bolsas de Iniciação Científica (PIBIc) do Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (PIBIc-CNPq); Auxílio concedido pelo Programa Interno de Iniciação Científica da Unisanta (PIC-Unisanta) e Voluntários. A novidade para este ano é a submissão de projetos voltados para o desenvolvimento tecnológico e inovação. Para tanto, a Unisanta apresentará projeto junto ao CNPq para a obtenção da concessão de bolsas de Iniciação em Desenvolvimento Tecnológico e Inovação (PIBIT-CNPq).

O Programa de Iniciação Científica (PIC-Unisanta) compreende quatro modalidades: bolsas de Iniciação Científica do Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (PIBIc-CNPq); Auxílio concedido pelo Programa Interno de Iniciação Científica da Unisanta (PIC-Unisanta) e Voluntários. A novidade para este ano é a submissão de projetos voltados para o desenvolvimento tecnológico e inovação. Para tanto, a Unisanta apresentará projeto junto ao CNPq para a obtenção da concessão de bolsas para esta área em específico.

De acordo com a diretora do Centro Institucional de Pesquisa da Universidade, Profa. Brigitte Rieckmann Martins dos Santos, “a iniciação científica é considerada como uma oportunidade de inserção precoce do aluno de graduação em projetos de pesquisa, o que permite aprimorar sua formação em nível superior, além de obviamente iniciar a formação daqueles que apresentam vocação para a pesquisa”.

Ainda segundo Brigitte, “a participação no programa permite desenvolver profissionais mais preparados para atuar no mercado de trabalho cada vez mais exigente, além de aproximar o aluno da sociedade, permitindo uma maior interação entre a prática e a teoria. Além disso, diferentes cursos da Unisanta têm desenvolvido tecnologias e soluções criativas através de projetos interdisciplinares”.

Talento – Aluno do 4º ano de Ciências Biológicas, Murilo Ribas de Biaso é um dos exemplos de que a dedicação à Iniciação Científica pode render frutos no presente e futuro. A curiosidade o levou a desenvolver pesquisas e conhecer melhor as áreas da biologia molecular e celular. Ele teve a oportunidade de conhecer novas pesquisas e laboratórios e recebeu uma proposta de Mestrado na USP, na área de Retinopatia Diabética, ligada

“Minha ideia inicial era fazer projetos na área. Procurei o professor Daniel Siqueiroli que me inseriu em um projeto em colaboração com a Faculdade de Medicina da USP. Durante o primeiro ano de pesquisas, fui convidado a integrar um outro projeto, no Instituto de Ciências Biológicas da USP e também recebi o convite para o Mestrado”, disse o estudante.

Murilo desenvolveu suas pesquisas com o auxílio da bolsa PIBIc-CNPq. Atualmente está terminando o projeto intitulado: Avaliação citotóxica do Anti-tgf-β Galunisertib em células de Müller. O estudante também concluiu o projeto Expressão gênica de Tnf-alfa e P-selectina em camundongos obesos expostos à poluição atmosférica, com orientação do Prof. Dr. Daniel Siquieroli Vilas Boas.

“Indico a participação dos alunos no Programa Iniciação Científica devido ao desenvolvimento pessoal e por também ser uma possibilidade de conhecer o campo de pesquisa atual do Brasil. As duas iniciações me fizeram compreender melhor sobre como funciona uma pesquisa e como devo realizá-la”, disse o estudante.

Para participar – Os interessados deverão estar regularmente matriculados até o antepenúltimo semestre de qualquer curso de graduação da Unisanta. Precisarão elaborar, junto ao professor orientador, um projeto de pesquisa segundo as normas científicas e inscrevê-lo na plataforma de pesquisa. É obrigatório o registro do currículo na Plataforma Lattes do CNPq (http://lattes.cnpq.br/).

O aluno não poderá possuir vínculo empregatício para poder se dedicar às atividades exigidas. Também podem se candidatar aqueles que possuem bolsa da Unisanta, PROUNI ou FIES.

Todos os projetos serão analisados por uma comissão interna composta por professores pesquisadores, com vasta experiência científica. Os melhores projetos de pesquisa serão direcionados para bolsa PIBIc-CNPq, e os de inovação tecnológica, para o PIBIT-CNPq (caso o CNPq aprove o projeto e faça concessão de cota institucional com bolsas). Os demais receberão desconto na mensalidade de R$ 400,00. Os estudantes que não forem contemplados, caso o número de projetos exceda o de bolsas disponibilizadas, poderão participar como voluntários. O programa terá duração de 12 meses.

O acompanhamento e a avaliação dos bolsistas do CNPq, da Unisanta e dos   voluntários, serão os mesmos. Após seis meses, os alunos deverão entregar relatório das atividades. Ao final dos 12 meses, deverá ser entregue relatório completo, com os resultados obtidos, sendo que estes deverão ser apresentados no COBRIC e CONIC.

O edital está disponível no site http://unisanta.br/Pesquisa/IniciacaoCientifica

“A iniciação científica é a porta de entrada para a Pós-Graduação. Sabe-se que o tempo a ser dedicado para alcançar esta meta é longo, mas a perseverança, a criatividade e a comunicabilidade são as chaves para o sucesso nesta atividade. Os estudantes que participaram da iniciação científica têm melhor desempenho nas seleções para a pós-graduação, possuem treinamento para atuar no coletivo, com espírito de equipe e detém maior facilidade de falar em público e de se adaptar às atividades didáticas futuras”, conclui a diretora.