A Cultura da Paz será apresentada por ex-diretor da UNESCO, na Unisanta

157

Quando o Dr. David Adams desenvolveu o Programa Cultura da Paz, pela Unesco, teve a função de criar projetos nacionais de cultura de paz, pesquisa e desenvolvimento do conceito de cultura de paz e treinamento em consolidação da paz e resolução de conflitos.

A Universidade Santa Cecília (Unisanta) receberá a palestra A Cultura de Paz e Não-Violência nas Organizações e na Comunidade, a ser ministrada pelo ex-diretor da UNESCO e neurocientista, Dr. David Adams. O evento será na próxima terça-feira (22/8), às 19h, no auditório do Bloco E, 4º andar, em parceria com a Associação Brasileira dos Organizadores de Festivais de Folclore e Artes Populares – ABrasOFFA.

A associação desenvolve, ao longo dos anos, diversos projetos voltados para a Cultura de Paz e Não-Violência e vem ganhando destaque em algumas iniciativas, como a participação, em Paris, nas Melhores Iniciativas pela Paz, a realização do Congresso Mundial da Paz nas Américas, a participação na compilação do relatório Mundial de Ongs pelo mundo e entregue na ONU e, recentemente, no Intercâmbio e participação nos EUA-New Haven.

Sobre o palestrante – Dr. David Adams é coordenador da Rede de Notícias sobre Cultura da Paz. Ele se aposentou em 2001 da UNESCO, quando foi Diretor da Unidade para o Ano Internacional pela Cultura da Paz, proclamado pelo Ano 2000 pela Assembleia Geral das Nações Unidas.

Após uma carreira como professor de Psicologia por 23 anos na Universidade Wesleyan (Connecticut, EUA), ele veio à UNESCO em 1992 para desenvolver o Programa Cultura da Paz, como suplemento e alternativa às operações militares de manutenção da paz. Suas responsabilidades incluíram desenvolvimento de projetos nacionais de cultura de paz, pesquisa e desenvolvimento do conceito de cultura de paz e treinamento em consolidação da paz e resolução de conflitos.

Em nome da UNESCO, ele preparou documentos da ONU, incluindo o projeto de Declaração e Programa de Ação sobre uma Cultura de Paz (1999). Na Universidade de Wesleyan, e, anteriormente, na Universidade de Yale, ele foi especialista nos mecanismos cerebrais do comportamento agressivo, da evolução da guerra e da psicologia dos ativistas da paz. Também ajudou a desenvolver e divulgar a Declaração de Sevilha sobre Violência.

É o autor de vários livros e numerosas publicações em neurofisiologia, fisiologia cardiovascular, genética, etologia, biopsicologia, psicologia social, antropologia intercultural, história e ética. Alguns desses estudos ajudaram a estabelecer a base científica do trabalho para uma cultura de paz.