Lúcia Teixeira participa de livro sobre Memória e História de Mulheres

38

O livro Memória Feminina: Mulheres na História, História de Mulheres homenageia mulheres que contribuíram e contribuem para a construção da história e cultura brasileiras.

Pagu, Patrícia Galvão (1910-1962), jornalista e ativista política e cultural, é uma das dezoito brasileiras homenageadas, com texto inédito de Lúcia Maria Teixeira, uma das autoras selecionadas e convidadas pelo Instituto Brasileiro de Museus (Ibram) e a Fundação Joaquim Nabuco, coparceiras na publicação que envolve seis países iberoamericanos.

O trabalho de Lúcia na recuperação da memória de Pagu lhe valeu a indicação ao Prêmio Jabuti, entre outros. Os diversos livros publicados pela biógrafa de Pagu inspiraram criações artísticas, científicas e culturais, e o Centro Pagu Unisanta, fundado por Lúcia, em Santos (SP), reúne documentos e iniciativas que preservam a história nacional, estimulam a pesquisa e a criação de conhecimento, além de diálogos multidisciplinares e narrativos.

Memória Feminina: Mulheres na história, história de mulheres reúne uma seleção sobre 18 mulheres de diversas áreas (música, jornalismo, artes plásticas, ativismo político, ciências, proteção do patrimônio, luta pela igualdade de gênero), das mais variadas regiões do Brasil, cujas contribuições se encontram, em sua maioria, representadas em museus e espaços de memória.

A ideia de homenagear as mulheres envolvendo museus foi definida durante reunião do Comitê Intergovernamental do Programa Ibermuseus ocorrida em Lisboa (Portugal). Os países envolvidos são Portugal, Espanha, Brasil, Argentina, Chile e Colômbia. Cada um deles selecionou de 18 a 20 mulheres de cada país.

A publicação sobre mulheres brasileiras de diversas áreas, origens e trajetórias enriquece a história nacional e mundial, com textos que representam a marcante contribuição feminina, como a de Patrícia Galvão. O reconhecimento desse nosso trabalho, iniciado em 1988, é mais um estímulo para continuarmos avançando, na rica presença de mulheres que ajudaram na luta contra preconceitos”, destaca Lúcia Maria Teixeira, escritora e presidente do Centro Pagu Unisanta ( Santos- SP).
Gênero e memória

“Destacamos a importância deste projeto para o incremento do debate das questões de gênero no Brasil, sob a perspectiva da memória, com esse recorte significativo de representações femininas”, explica a antropóloga Maria Elisabete Arruda de Assis, diretora do Museu da Abolição, que organizou a publicação em parceria com a museóloga Taís Valente dos Santos, também vinculada ao Ibram.

Escritos por pesquisadores de diversas instituições, os textos selecionados buscam desconstruir conceitos que restringiram a presença das mulheres em nossa História.

O texto de Lúcia Maria Teixeira sobre Pagu também poderá ser obtido no site www.pagu.com.br, a partir de 9 de junho, data do nascimento de Patrícia Galvão.